Você está aqui
Home > Atrações > museus do vaticano [GUIA COMPLETO]: o que ver, quanto custa, onde fica

museus do vaticano [GUIA COMPLETO]: o que ver, quanto custa, onde fica

museus do vaticano fachada

Os Museus do Vaticano são, atualmente, um dos complexos museológicos de maior importância do mundo. Lá você terá a oportunidade de ver, por exemplo, obras de arte da época egípcia até o final do Renascimento. O ponto alto da sua visita é a Capela Sistina, mas há muito mais para se ver

E por que museus, no plural? Porque na verdade são diversos museus, num conglomerado. Ou seja, diversos prédios diferentes, que estão interligados, formam o que chamamos de Museus do Vaticano.

Os Museus do Vaticano abriram suas portas para visitação pública no século XVI. Hoje, são visitados por mais de 6 milhões de pessoas anualmente.

Leia também:

museus vaticano


Se preferir, vá direto aos tópicos mais importantes


Qual a história dos Museus do Vaticano?

Pode-se dizer que a história dos Museus do Vaticano têm início em 1503, quando o então Papa Júlio II transfere a estátua, atualmente conhecida por Apollo del Belvedere, para o Vaticano. Em seguida, Julio II também transferiu outras obras importantes como Venus Felix,  Nilo, Rio Tevere, Ariana Adormecida, Laocoonte e seus filhos.

Referidas obras transferidas por Júlio II foram alocadas na Cortile Ottagonale. Novos prédios foram sendo construídos, ligados às construções já existentes. E, assim, outros papas, que pertenciam às famílias nobres de Roma, também foram transferindo suas coleções privadas de arte.


Quais e quantos são os Museus do Vaticano?

De acordo com o site oficial , atualmente os Museus do Vaticano são um conglomerado de nove museus principais.

Além desses museus, existem outras coleções e ambientese construções importantes também fazem parte desse complexo museológico. Como exemplos, podemos citar a Capela Sistina, o Apartamento Borgia e as Salas de Rafael.

Abaixo vamos falar um pouco sobre cada museu, bem como sobre a Capela Sistina e a Pinacoteca!

museus do vaticano o que ver
Nesse esquema nós vemos todos os ambientes e coleções que formam os Museus do Vaticano

Museu Pio-Clementino

: Abriga obras gregas e romanas

Museu Chiaramonti

: Esse museu conta com uma enorme coleção de bustos romanos.

Museu Gregoriano Etrusco

: É um dos primeiros museus dedicados às antiguidades etruscas.

Museu Gregoriano Egípcio

: Possui nove salas, com um vasto material acerca do Egito romano e de Roma influenciada pelo Egito.

Pinacoteca Vaticana

: Atualmente conta com 460 pinturas, distribuídas em 18 salas, organizadas cronologicamente, de acordo com a escola.

Museu Missionário-Etnológico

: Esse museu surgiu da iniciativa do Papa Pio XI que, em 1925, decidiu organizar uma exposição a fim de divulgar as tradições de todos os povos. Essa exposição fez tanto sucesso que se transformou numa exposição permanente, dando início ao Museu Missionário-Etnológico.

Museu Gregoriano Profano

: Acervo de estátuas, baixos-relevos e mosaicos da era romana.

Museu Pio-Cristão

: Este Museu foi fundado pelo Papa Pio IX, em 1854, tendo sido instalado também no Palácio de Latrão, inicialmente. No ano de 1963, o Papa João XXIII ordenou que o Museu Pio-Cristão fosse transferido do Palácio de Latrão para o Vaticano.

Museu Cristão

: Esse Museu expõe itens originais das Catacumbas de Roma e busca demonstrar a herança de fé e cultura dos cristãos dos primeiros séculos.

Museu Profano

: AO Papa Clemente XIII, em 1761, foi quem criou o Museu Profano, sendo a primeira coleção de antiguidades profanas do Vaticano.

Facilite a sua viagem: Ingresso fura-filas para a Basílica de São Pedro


O que ver nos Museus do Vaticano?

Há muito o que ver nos Museus do Vaticano e quase todas as alas são abertas ao público. Mas a parte do museu que mais “faz sucesso” é ala com o percurso que conduz até a Capela Sistina. Por isso, foi criado um percurso obrigatório (por questões de logística) para que se percorram uma série de ambientes até finalmente chegar até a Capela Sistina.

Algumas dicas do que ver nos Museus do Vaticano:


A maior estrela dos Museus do Vaticano: a Capela Sistina

A Capela Sistina fruto da restauração da antiga Capela Magna, que ocorreu entre os anos de 1477 e 1480, no pontificado de Sisto IV, daí o seu nome Sistina.

O grande atrativo da Capela é que ela abriga um conjunto de afrescos pintados por Michelangelo, tanto no teto como na parede do altar. Além de Michelangelo, outros grandes nomes fizeram parte da restauração. Pietro Perugino, Sandro Botticelli e Domenico Ghirlandaio pintaram uma série de painéis retratando a vida de Moisés e de Cristo.

Hoje a capela é o local onde se realiza o conclave, que é o processo pelo qual escolhe-se um novo Papa.


O percurso obrigatório para chegar até a Capela Sistina

Não dá para visitar somente a Capela Sistina. Você terá que percorrer pelo menos 1 hora e meia de visitação, até chegar lá.

Assim que entramos e superamos os pátios externos, o Cortile della Pigna, que abriga a enorme esfera de bronze de Arnaldo Pommodoro e o Cortile del Belvedere, de onde vemos os jardins vaticanos e a cúpula da basílica, existem placas indicando quais percursos e em qual ordem devem ser seguidos pelos visitantes.

museus do caticano chegar até a capela sistina
Vejam que mesmo no percurso breve, é necessário passar por várias salas até chegar à Capela Sistina. No percurso estão marcados onde há elevador, cafeteria e acesso para cadeirantes.

Isso tudo parece um pouco anômalo e quase uma imposição. Se pensarmos em qualquer grande museu do mundo, visitamos uma sala, passamos para outra e mais outra e, depois, se quisermos ver novamente alguma obra, é só voltar para trás.

Nos Museus Vaticanos, a causa do enorme contingente diário isso pode ser simplesmente impossível. Ou seja, a ala principal do museu, aquela que conduz à Capela Sistina tem um percurso programado. Pelo menos na parte das “Gallerie” (Galerias), que na verdade são enormes corredores com as peças expostas na suas paredes.

Ali, nos dias e horários de maior lotação, você praticamente não consegue voltar para trás, mas é levado pela multidão. Sacam: atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu? Meio que assim! Ver para crer, e eu vi! Nesse caso, a única alternativa para ver algo de novo é visitar o percurso inteiro (até a Capela Sistina), sair dessa ala do museu (mas permanecer dentro da estrutura) e depois visitar todo o restante!

Reserve umas 3 horas para fazer o percurso que vai do Cortile della Pigna à Capela Sistina.

Atalho para chegar mais rápido à Capela Sistina

Nesse percurso aconselhado, mas que eu chamo de percurso obrigatório, também é possível percorrer um talho para chegar mais rápido na Capela Sistina. Na verdade você passará pela Galleria degli Arazzi, pela Galleria delle Carte Geografiche, decidirá se quer ver ou não as Salas de Rafael (por favor! não pule essa parte do percurso, porque os afrescos das Salas de Rafael são a coisa mais linda do mundo, e elas não ficam lotadas!) e dali rumar para a Capela Sistina.

Essa alternativa de percorrer o atalho, só vale a pena se você for um dos primeiros a entrar no museu, e quiser garantir a vista da Capela Sistina quase sem ninguém. Caso contrário, ela estará lotada mesmo.

Placas e mapas para se orientar nos Museus do Vaticano

Durante o percurso há muitas placas, mas logo na entrada do museu também há mapas, ilustrando os atalhos no e também onde encontrar elevadores, para acesso a visitantes com mobilidade reduzida ou carrinhos de bebê:

Leia também:


Quando visitar os Museus do Vaticano?

Os Museus poderão ser visitados de segunda à sábado, das 09h às 18h. Mas preste atenção: você só poderá ingressar nos Museus até as 16h!

Além disso, no último domingo de cada mês, os Museus também ficam abertos das 09h às 14h, sendo que a entrada poderá ocorrer até as 12h30. Nesses domingos as entradas são gratuitas!

Por outro lado, de Abril a Outubro existe a maravilhosa visita noturna aos museus vaticanos, a qual permite vê-lo com os corredores vazios! Uma oportunidade única e imperdível. Nesse período você também poderá apreciar um concerto (que tem início às 20h) ou apenas fazer um happy-hour.

Ainda, é importante que você saiba que existem algumas datas as quais os Museus não abrem, são elas:

      • 1º de janeiro
      • 11 de fevereiro
      • 19 de março
      • 22 de abril
      • 1º de maio
      • 29 de junho
      • 14 e 15 de agosto
      • 1º de novembro
      • 25 e 26 de dezembro

E, se você estiver visitando Roma entre abril e outubro, há ainda uma boa notícia:

os Museus abrem suas portas às sextas-feiras, no horário das 19h às 23h! Nesse período você poderá apreciar um concerto (que tem início às 20h) ou apenas fazer um happy-hour. Diversas galerias podem ser visitadas e se você tem interesse, pode verificar as informações clicando aqui.


Onde comprar o ingresso para os Museus do Vaticano?

O ingresso pode ser comprado na bilheteria oficial no site www.museivaticani.va ou também no site do revendedor Get Your Guide.

No site oficial existem várias opções de preços, entradas e horários, uma vez que existem várias possibilidades de visita aos Museus do Vaticano.


Quanto custa a entrada nos Museus do Vaticano?

 Para ingressar nos Museus do Vaticano existem diversos valores aplicáveis aos tickets, que podem variar de acordo com a idade ou alguma condição especial do visitante. Vamos listar para vocês os preços praticados em 2019, adquiridos diretamente na bilheteria:

      • Ingresso normal: € 17.00
      • Crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos: € 8.00
      • Padres e outros religiosos: € 8.00
      • Funcionários (ativos ou aposentados) de Entidades da Santa Sé e/ou do Estado da Cidade do Vaticano: € 8.00
      • Grupos de estudantes de escolas primárias ou secundárias: € 4.00
      • Grupos de universitários de até 25 anos: € 8.00
      • Grupos de estudantes religiosos (seminaristas e noviças): € 4.00

Esses ingressos também podem ser adquiridos através da internet, na página oficial dos Museus do Vaticano. Haverá uma taxa pela compra online, que é geralmente de € 4.00. Entretanto, o visitante que adquirir o ingresso nessa modalidade terá acesso prioritário!


Como funciona o fura-filas dos Museus do Vaticano com reserva antecipada?

A primeira “verdade verdadeira”: com a reserva antecipada evita-se esperar uma ou uma hora e meia na fila (baixa temporada) a até três horas (alta temporada), mas ainda é necessário pelo menos uns 15 minutos para efetivamente começar a visitar o Museu.

Ao reservar on-line é enviado um bilhete com um código QR e/ou código de barras. Você pode imprimi-lo ou simplesmente mostrar o celular/tablet ao guarda, que vai passar um leitor ótico para verificar a autenticidade do bilhete.

Podemos nos apresentar ao guarda pelo menos uns 15 minutos antes do horário marcado no bilhete. Foi o que eu fiz! Há um porta-volumes logo depois do detector de metais ou um no portão de saída (o portão da foto destacada desse post).

Em seguida você entra no portão do museu e passa pelo detector de metais, com o mesmo procedimento dos aeroportos. Um pouco menos rigoroso: por exemplo, não pedem que tiremos os sapatos. Mas se o detector apitar, você será revistado. Na passagem pelo detector de metais, vi os seguranças dando prioridade para pessoas com carrinhos de bebê. Mas não há fila de prioridade para idosos.

Depois que passar pelo detector de metais, dirija-se à esquerda, aos guichês exclusivos para quem comprou on-line [CASSA ONLINE E GRUPPI], para retirar o bilhete verdadeiro. Mostre novamente a reserva que você imprimiu ou seu tablet. No site diz ser necessário apresentar um documento de identidade, mas não me pediram nada. Leva-se cerca de 5-7 minutos nessa fila.

O passo successivo é subir as rampas, passar pela bilheteria (sem ter que parar, porque já estamos com os bilhetes nas mãos), passar pelas roletas autenticando e passando o código de barras no bilhete no leitor ótico.

furar-fila-museus-vaticanos_14
Prontos para passar na roleta!

Depois há um lance de escadas rolantes ou uma escada com rampas (e elevadores também) e chega-se a um dos átrios embaixo de um teto de vidro. Ali há banheiros, máquinas automáticas para comidas e bebidas (com “precinhos” #issonaoecoisadeDeus), além de um bookshop.

Finalmente podemos iniciar a visita!


Quando não há filas nos Museus do Vaticano?

Na baixa temporada (novembro a início de março) e geralmente na parte da tarde, cerca de 2 ou 3 horas antes de fechar, a partir das 15 ou 15h30. Saiba que o percurso mais breve dos Museus Vaticanos leva pelo menos 2 horas para ser percorrido e você não vai ver tudo.  Abaixo a foto tirada na parte da tarde. A porta de entrada vazia. Mas não se engane, porque dentro do museu deve estar cheio mesmo assim.

furar-fila-museus-vaticanos_12


Existe gratuidade no ingresso para os Museus do Vaticano?

Sim, existe gratuidade para ingressar nos Museus em alguns dias e para algumas pessoas em específico!

Quanto aos dias, são gratuitas as entradas:

      • No último domingo do mês
      • No Dia Mundial do Turismo (27 de setembro)

Já quanto às pessoas, têm direito à gratuidade às seguintes:

      • Crianças menores de 6 anos
      • Diretores de instituições de museus e órgãos envolvidos na proteção do patrimônio arqueológico, histórico e artístico
      • Todos os visitantes com deficiência com invalidez certificada de mais de 74%. No caso de visitantes não auto-suficientes, a entrada gratuita é estendida a um acompanhante
      • Jornalistas autorizados pela Diretoria dos Museus
      • Titulares dos cartões válidos emitidos pela: Icom (International Council of Museums); Icomos (Conselho Internacional de Monumentos e Sítios)
      • Doadores de obras, benfeitores e membros da associação Patronos das Artes nos Museus do Vaticano
      • Professores universitários de Arqueologia, História da Arte, Arquitetura e Etnologia, bem como de academias de Roma, para ministrar ocasionalmente aulas especializadas (ver regras específicas)

Visita grátis para deficientes visuais e auditivos

É possível reservar um passeio completamente grátis no qual é oferecido um percurso sensorial.

Mas prestem bem atenção: esse passeio deve ser reservado com uma certa antecedência. No site não informam exatamente quando tempo antes.


O que você deve saber sobre a visita para deficientes visuais:

      • A visita deve ser obrigatoriamente reservada e o grupo será composto por no máximo 8 visitantes;
      • O ingresso é grátis para o visitante e um acompanhante;
      • Atualmente ela está disponível somente em italiano;
      • A visita dura duas horas

Enviar um e-mail para visitedidattiche.musei@scv.va escrevendo Visite non Vedenti no campo assunto do e-mail, ou telefonar para: 39 06 69883145 – + 39 06 69884676 – + 39 06 69884947


O que você deve saber sobre a visita para deficientes auditivos:

      • A visita deve ser obrigatoriamente reservada e o grupo será composto por no máximo 15 visitantes;
      • A visita conta com o acompanhamento de um guia especializado em libras;
      • Acontece todas as quartas (15 às 17h) e sábados (12-14 e 15-17). Durante o período da abertura noturna, o passeio também é oferecido às sextas-feiras
      • O ingresso é grátis para o visitante e um acompanhante;
      • Também é possível reservar o passeio para deficientes auditivos que não saibam se comunicar em libras. Nesse caso o grupo pode ter no máximo 7 pessoas.
      • dois itinerários com duração de duas horas: Itinerário 1: Salas de Rafael e Capela Sistina; Itinerário 2: Museu Pio Clementino e Capela Sistina

Enviar um e-mail para visitedidattiche.musei@scv.va escrevendo Visite in LIS no campo assunto do e-mail, ou telefonar para: 39 06 69883145 – + 39 06 69884676 – + 39 06 69884947


O que você deve saber antes de visitar os Museus do Vaticano?

Antes de você conhecer as maravilhosas obras expostas nos Museus do Vaticano, queremos te dar algumas dicas simples, mas bastante importantes para tornar seu passeio ainda melhor.

A primeira dica é compre seu bilhete com antecedência. Ficar duas horas na fila não é nada agradável, sobretudo, se você viajar no verão e inverno (ou fica debaixo de sol, ou debaixo de chuva e vento). Se estiver viajando com crianças e idosos nem pense em ficar na fila!

Comodidade: Compre aqui seus ingressos fura-filas para o Vaticano

Outra dica importante é quanto à vestimenta. Como se tratam de Museus de propriedade da Igreja Católica, você deverá estar vestido adequadamente. Portanto, sugerimos que você não use bermudas, minissaias e camisetas..

Além disso, é interessante que você saiba que na Capela Sistina não podem ser tiradas fotografias ou mesmo filmar. Se você for pego fazendo isso é possível até que os guardas do local obriguem você a apagar a foto ou vídeo! Portanto, preste atenção.


Onde ficam os Museus do Vaticano?

Os Museus do Vaticano ficam próximos à Praça São Pedro e da Basílica de São Pedro.

Para chegar até os Museus do Vaticano, é só pegar a linha A do metrô e descer nas estações Ottaviano ou Cipro. São cerca de 5 minutos de caminhada do metrô até a porta dos Museus.

Endereço: Viale Vaticano

 


Veja a seguir serviços essenciais para a sua viagem


  • Seguro Viagem obrigatório para Itália e Europa em geral
A Itália faz parte dos países europeus que exigem seguro de viagem com apólice mínima de € 30.000. Faça o seu com a Real Seguros. FAÇA COTAÇÃO AGORA E GANHE 10% DE DESCONTO
  • Procurando hospedagem em hotel ou apartamento?
Reserve hotéis e apartamentos em qualquer cidade do mundo. Site em português e cotação em Reais. BUSCAR HOTEL
  • Ingressos Fura-Fila para o Coliseu
Se você não quiser perder preciosas horas da sua viagem em filas, reserve aqui o bilhete para o Coliseu, Fórum Romano e Palatino. COMPRAR INGRESSO COLISEU
  • Evite as filas quilométricas dos Museus do Vaticano
Quer evitar filas que dobram o quarteirão? Então a melhor coisa a fazer para ver a Capela Sistina, é comprar seu ingresso antecipado. COMPRAR INGRESSO VATICANO

Conteúdo Semelhante

9 thoughts on “museus do vaticano [GUIA COMPLETO]: o que ver, quanto custa, onde fica

  1. Estamos em Roma e nossa dívida é se o melhor é visitar o Vaticano (museus, capela Sistina e a Basílica de São Pedro com sua praça) no mesmo dia ou fazer duas visitações separadas em dias distintos.

    1. Digamos que tudo depende da disposição física de vcs, uma vez que os Museus do Vaticano levam pelo menos 3 horas para serem visitados.
      Uma boa ideia seria fazer uma pausa para almoço/lanche e depois recuperar as energias.
      Abs,
      Luciana

  2. Estou em Roma e seus comentários foi essencial para meu passeio. Só fiquei triste porque eu iria amanhã ao Vaticano 14/08 e pelo que você disse estará fechado. Ficará esse motivo para eu voltar a Roma.

    1. Oi, Pedro
      Voce chegou a dar uma conferida no site oficial do Vaticano?
      Nunca se sabe se pode haver mudanças de ultima hora.
      Abs,
      Luciana

  3. eu amei conhecer os museus, mas dedicaria um dia inteiro so neles pq nossa tem tanta coisa e vc cansa demais caminhando pq eh gigantesco esse lugar! eu quero muito voltar e tentar ir mais cedo pra nao pegar tanta gente

  4. Adorei o seu guia sobre os museus do Vaticano. Se eu tivesse lido ele antes da minha visita teria sido bem mais fácil. Sem dúvida, a multidão (que às vezes leva a gente como uma onda) é o grande ponto negativo. Mas poder ver a Capela Sistina ao vivo não tem preço e vale qualquer sacrifício!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Top