Você está aqui
Home > Uncategorized > Documentos para entrar na Itália como turista

Documentos para entrar na Itália como turista

entrar na italia

Se você vai entrar na Itália como turista, é importante que cuide de alguns aspectos essenciais antes de sair do Brasil, para garantir que aproveitará sua estadia ao máximo sem ter nenhum tipo de dor de cabeça.

Quando a data da viagem vai se aproximando, a gente não consegue sentir outra coisa a não ser ansiedade de chegar logo ao destino.

Portanto, se você quer viajar para a Itália, no post de hoje tem uma série de dicas muito úteis para você não esquecer documentos e procedimentos importantes antes de deixar o solo brasileiro.

Economia no seu bolso: Seguro Viagem com 10% de desconto


viajar para a itália
Foto: Shutterstock

Leia diretamente os tópicos sobre documentos para viajar para a Itália


O que o brasileiro precisa para entrar na Itália como turista?

Por mais que não seja necessário portar um visto (mais adiante falaremos sobre isso), existe uma série de pré requisitos que você precisa comprovar antes de viajar para a Itália.

  • Passaporte (com validade mínima de 3 meses ao término da viagem);
  • Passagens de ida e volta;
  • Reserva na hospedagem (é preciso comprovação);
  • Garantias financeiras (em espécie ou cartão de crédito internacional);
  • Seguro viagem;

É preciso tomar um cuidado redobrado com a questão da documentação, visto que nos últimos anos alguns países passaram por um processo mais rígido sobre a entrada e circulação de turistas.

Leia Mais:


Quanto tempo se pode ficar na Itália?

Se o seu objetivo ao viajar para a Itália for o turismo, a sua estadia deve ser de no máximo 90 dias a cada 180 dias (ou seja, matematicamente, ao sair de uma hospedagem de 90 dias na UE você só pode retornar após ficar 90 dias fora da UE). Se a sua viagem contemplar outros países da União Europeia, saiba que esses 90 dias é para o tempo total da viagem e não 90 dias em cada país.

Essa dúvida se o brasileiro precisa de visto para a Itália é bem comum. Porém, caso você queira exceder esses 90 dias, será necessário renovar o seu visto para um que seja adequado para os seus objetivos por lá.

É importante frisar também que ao final da viagem, o seu passaporte deve ter ainda validade de 3 meses. Além disso, você precisará levar uma quantidade de dinheiro suficiente para poder manter o custo da sua viagem.

Em média, esse valor será de 60 euros, podendo variar até 80 euros por dia. Alguns países pedem até mesmo algum tipo de prova, como um comprovante bancário onde você deve mostrar que tem a quantidade mínima para viajar.

Dê uma conferida abaixo no que você precisa levar para a sua viagem!


Tudo o que você precisa para viajar para a Itália, explicado em detalhes:

1 – Passaporte e Documentos

Se você ainda tem essa dúvida se o brasileiro precisa de visto para a Itália, fique tranquilo. Como dissemos, isso não será necessário caso você não exceda os 90 dias de estadia.

Porém, é necessário ter um passaporte. Mais uma vez, é importante reforçar que ao sair do Espaço Schengen (Tratado composto por 26 países, cujo objetivo é regular a livre circulação de bens e pessoas) o seu passaporte precisa ter a validade de 30 dias.

2 – Dinheiro

Antes de viajar para a Itália, você precisará separar um dinheiro. Se o oficial da imigração italiana requisitar, você precisará necessariamente comprovar para o governo italiano que você tem recursos financeiros para se manter durante a estadia.

que docucumentos para entrar na italia
Foto: Shutterstock | De: Licvin

Além disso, se for necessário cobrir alguma despesa médica, você também precisará arcar com esses custos. Tenha em mente que se você pretende ficar os 90 dias, o ideal é levar no mínimo cerca de 3 mil euros. O ideal é que você carregue uma quantia equivalente a pelo menos 60 euros por dia, independente do tempo que for ficar.

O valor requerido pelo governo para a diária de um turista é um pouco menor, mas é importante manter essa segurança, certo? Melhor sobrar do que faltar!

3 – Comprovação da Hospedagem

Para entrar na Itália, você também precisará comprovar ao governo que tem onde ficar. Caso você vá se hospedar em um hotel, é importante que tenha um comprovante em mãos para indicar a reserva.

Já se você for ficar em outro tipo de hospedagem, ou até mesmo na casa de um amigo ou conhecido, o proprietário precisará assinar uma carta-convite com uma cópia do documento de identidade para que você apresente na hora de fazer a sua viagem. Como as leis de imigração passam constantemente por mudanças, peça que seu anfitrião informe-se junto às autoridades competentes (Polícia; setor imigração) se é necessário registrar ou autenticar a carta-convite.

Procure hotéis nas principais cidades da Itália

Hotéis em RomaHotéis em FlorençaHotéis em MilãoHotéis em Nápoles | Hotéis em Veneza

hospedagem documentos para viajar para a italia
Foto: Shtterstock | De 279photo Studio

4 – Passagens Aéreas

Para viajar para a Itália, é preciso comprar também a passagem de volta, independente de quanto tempo você planeja ficar por lá.

Lembrando que ela precisa estar marcada para até 90 dias a partir da data de chegada ao país. Ao desembarcar lá, você precisará comprovar sua passagem de volta às autoridades. Portanto, tenha-a em mãos!


E o Seguro Viagem? Preciso mesmo dele para entrar na Itália?

Você pode não conseguir entrar na Itália sem um seguro viagem feito. Além desse procedimento deixar você mais tranquilo para atravessar o Oceano Atlântico, é um item obrigatório. Portanto, reforçando: você pode não entrar na Itália sem o seu seguro!

O Seguro Viagem Europa é um dos documentos, juntos com passagem (de ida e volta), hospedagem e garantias financeiras, que o oficial da imigração pode pedir quando você passar por um dos controles de fronteiras europeus. Com tudo certinho, você passa sem medo pela imigração italiana. Portanto todos os 26 países signatários do Tratado de Schengen exigem que seus visitantes possuam um seguro viagem.

Permite o ingresso no território dos Estados-Membros que assinaram o Tratado de Schengen: Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Itália, Letônia, Luxemburgo, Malta, Alemanha, Holanda, Lituânia, Lichtenstein, Luxemburgo, Malta, Portugal, Polônia, Suíça, Suécia, Noruega e Islândia. Desses países, 4 não são membros da UE (Islândia, Lichtenstein, Noruega e Suíça), mas assinaram o Tratado de Schengen.

O regulamento 810/2009 do Parlamento Europeu, também conhecido como Código Comunitário de Vistos é a lei que diz que um turista necessita obrigatoriamente do seguro viagem ao entrar na área comum do Tratado de Schengen.

Porém, isso não é motivo para ficar nervoso. Na verdade, é simples contratar um seguro viagem, e não é tão caro como você pensa. Um bom seguro viagem custa cerca de 10 reais por dia.


A dúvida é: qual o melhor seguro viagem para se contratar?

Um Seguro Viagem Itália que pode caber no seu bolso tranquilamente e cobre pelo menos os requisitos mínimos pedidos tem uma cobertura de 30.000 euros. A saúde na Europa é bem cara. Se você tiver algum problema de saúde e sofrer um acidente, é importante que o seguro cubra tudo.

Para contratar um seguro no Brasil, você poderá usar os serviços online de muitas seguradoras. O processo é relativamente rápido e barato. A maioria das seguradoras oferece:

  • Assistência odontológica;
  • Assistência médica;
  • Transferência de corpo em caso de falecimento no exterior;
  • Seguro de vida.

Se você quiser pagar um pouco mais para a seguradora, poderá receber alguns serviços extras, como, por exemplo:

  • Seguro de bagagem (no caso de ela ser extraviada no aeroporto);
  • Seguro caso a sua bagagem atrase;
  • Reembolso, caso a viagem seja cancelada;

A Real Seguros oferece um preço bem acessível. Você pode encontrar seguradoras cobrando, por exemplo, cerca de 10 reais por dia, com uma cobertura que varia de 30 mil a 40 mil euros.

A seguir preço de um seguro para 10 dias de viagem, segundo a cotação da Real Seguros

Um seguro viagem internacional é muito barato, e se você tiver alguma despesa médica por lá, agradecerá eternamente por ter feito o seguro! Vale pontuar também que ele é individual. Portanto, se você viajar com a sua família, cada membro precisará fazer um seguro viagem.


Brasileiro precisa de visto para entrar na Itália?

Essa dúvida se o brasileiro precisa de visto para a Itália foi respondida no início do artigo. Mas, para reforçar, não é necessário se você viajar a turismo, a não ser que você queira ficar mais do que 90 dias.

Se o seu objetivo for permanecer mais de 90 dias na Itália, requisite o seu visto antes de sair do Brasil. As leis italianas só permitem que um turista fique mais de 90 dias no solo italiano se ele chegar com um visto emitido por repartição consular ou se, uma vez já na Itália, houver algum impedimento grave para que o viajante retorne ao seu país (por exemplo: uma internação hospitalar).

Vejam o que o site do consulado-geral da Itália no Rio de Janeiro reporta:

Cidadãos brasileiros não necessitam de um visto Schengen para estadias na Itália até 90 dias. No entanto, isto não significa que o ingresso no espaço Schengen seja automaticamente autorizado pois, mesmo que um cidadão esteja de posse de um visto, sua entrada é submetida ao critério das autoridades de fronteira. Em caso de controle na fronteira, poderão ser solicitadas maiores informações e/ou documentos sobre o titular do passaporte/visto que comprovem a sua situação financeira, real motivação para a viagem, previsão de acomodações durante a estadia, posse de um seguro de saúde válido e o efetivo período de permanência.

As mesmas informações são corroboradas pelo site da Farnesina, ou seja, o Ministério das relações exteriores italiano. Veja o site aqui: http://vistoperitalia.esteri.it/home.aspx

Se você não fizer isso, entrará à condição de clandestinidade no país, visto como crime pelas autoridades. E você não quer ter esse tipo de dor de cabeça, não é mesmo?

Para você ter uma ideia das consequências que podem surgir:

  • Você pode ser processado pelo governo;
  • Pode ser expulso;
  • Pode ser impedido de entrar novamente no Espaço Schengen por 10 anos;

Lembrando que, caso você queira ir para estudar, será necessário tirar um visto específico para isso ainda no Brasil. Basta comparecer ao consulado mais próximo da sua cidade. O custo é de aproximadamente 50 euros. E, claro, é importante portar um comprovante de matrícula do seu curso.

Assim como no visto de turismo, você também precisa cumprir alguns requisitos para o de estudo, como levar uma quantidade de dinheiro necessária para se manter lá durante esse período.


Vacinas para entrar na Itália

Com o surto recente de febre amarela, e muitos países exigindo que os brasileiros se vacinassem, começaram a surgir várias dúvidas se é necessário fazer vacinas para entrar na Itália. O Ministério da Saúde Italiano não exige que viajantes brasileiros façam nenhum tipos de vacinas para entrar na Itália. Ao invés, a preocupação do governo é quando os italianos vão para países com epidemias.


O que você achou das dicas de hoje sobre os documentos necessários para viajar para a Itália? Ficou com alguma dúvida? Deixe o seu comentário abaixo!

Conteúdo Semelhante

15 thoughts on “Documentos para entrar na Itália como turista

  1. EXCELENTE.
    Há comentários que nos deixam mais tranquilos.
    Mesmo tentando estar com tudo em ordem, nos deixa “preocupado”.
    Grato pelos esclarecimentos e comentários lidos.

  2. Gostaria de uma ajuda.
    Vou pra Milao (Malpensa) para Roma (conexão ) chego às 19:15 e meu voo para o Brasil sai às 22:00h.
    Será que da tempo?
    Passo pela imigração novamente ?
    Preciso retirar bagagem ?

    Todos os voos são uma compra pela Alitalia .
    Estou na dúvida dos procedimentos de volta.
    Obrigada!

    1. Eu acho meio apertado. Você terá que passar pela imigração saindo do país, pois carimbam seu passaporte.
      A bagagem você embarca em Milão e ela vai direto para o Brasil.
      Porém, dado que os voos são da Alitalia, acredito que eles devam facilitar o seu trânsito.
      Abs,
      Luciana

  3. bahh ta programado pra cobrarem uns 8 pila pra emissao de um vistinho online para visitar a europa e ainda a imigração. acho que tera um controle maior e melhor, mas eh tenso pq sempre tenho q responder altas perguntas…ainda bem q dessa vez tenho um cartao de residencia europeu (bem, ate o UK decidir o brexit, depois n sei haueahue)

  4. Ótimo post!
    Quando fui para a Itália levei tudo isso, ainda mais pq minha passagem de volta não era saindo da Itália. Mas a imigração foi bem tranquila e não me perguntaram NADA hahah. Acho que dei sorte haha

    1. Olha, eles são bem inconsistentes. Muitas vezes não fazem muitas perguntas, mas já vi voos (uma vez vindo do Brasil, outro da Turquia) que a triagem de passageiros foi feita praticamente na saída do avião.

  5. A abolição de fronteiras no espaço Schengen é um dos grandes avanços da Europa. Torna a nossa vida mais cómoda. Imagina tirar um visto para cada país?

  6. Desde a primeira viagem carrego uma pasta com o que precisa e mais um pouco para comprovar que só estou indo a passeio. Informações muito uteis para quem vai começar a se aventurar.

  7. Informação muito boa e pertinente. Para nós portugueses é realmente muito mais fácil porque basta o cartão de cidadão pois fazemos parte da União Europeia.

  8. Dicas super importantes. Fazia anos que não entrava na Europa com o passaporte brasileiro (meu italiano está vencido) e me pediram um monte de comprovantes porque eu não tinha nenhum carimbo no passaporte brasileiro (afinal passei 10 anos usando o italiano). Minha dica: levem tudo em uma pastinha para não terem problemas na imigração.

  9. Post super de utilidade pública! Eu tô mais sossegada pq tenho dupla cidadania (brasil/holanda), então entro direto, woo-hoo! Mas pra quem é marinheiro de 1a viagem é sempre bom saber! 🙂

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Top