You are here
Home > Atrações > A Galleria Borghese e a suprema contemplação da beleza

A Galleria Borghese e a suprema contemplação da beleza

A Galleria Borghese é um dos museus de arte mais importantes da Itália. Na minha modesta opinião é um dos cinco mais importantes de Roma. E apesar do seu pequeno tamanho, situado em uma antiga mansão de dois andares que pertenceu à rica e poderosa família Borghese, o seu concentrado de obras-primas de valor inestimável faz dele um museu que deve ser visitado por todos os amantes da arte e da beleza.

A Galleria está situada dentro da Villa Borghese, um dos maiores parques verdes de Roma. Só o parque em si já é uma rica fonte de atrações: museus dentro e nos imediatos arredores, jardim zoológico, teatro shakesperiano, jardins para piqueniques, fontes, estátuas e até um cinema  exclusivamente para crianças.

galleria-borghese-5
A beleza está em todos os lugares: olhem esse teto…

Mas a jóia mais rara da Villa Borghese é a Galleria Borghese. Em uma cidade com grandes museus como os Capitolinos, ou os vizinhos Museus Vaticanos _os quais atraem uma quantidade simplesmente incontável de visitantes todos os dias_ fica até difícil acreditar que em um espaço tão pequeno existam tantas obras de arte importantes.

O que faz da Galleria Borghese um museu assim tão especial?

Se pudesse resumir de maneira muito sucinta o que faz da Galleria Borghese um museu assim tão especial, diria que é a feliz combinação entre as obras de arte ali expostas, mas também o riquíssimo ambiente que as circunda. Saiba também que importantes peças do Museu do Louvre faziam parte da coleção de arte da Galleria Borghese.

galleria-borghese-6

O prédio era um palácio onde viveram muitos herdeiros de uma das mais ricas e poderosas famílias italianas de todos os tempos, e que ainda tem herdeiros até hoje. Portanto, enquanto contemplamos as obras de arte podemos também imaginar como era viver em meio a tanto luxo e riqueza.

Andar térreo: ambiente dedicado às esculturas

O esplendor já começa assim que subimos alguns degraus e alcançamos o salão de entrada,

E cada ambiente pelo qual passamos nos deleita tanto com outras obras quanto com ambiente ricamente decorados. Vocês ficarão pasmos com os afrescos que decoram o teto de cada uma das salas.

galleria-borghese-11
A um certo ponto a gente não sabe mais para onde olhar: pra escultura? pro teto? pro chão? pro quadro? Tudo simplesmente ma-ra-vi-lho-so!

galleria-borghese-12

Na sala número 1 a protagonista é a escultura de Pauline Bonaparte Borghese, representada como Venus Victrix. A estátua nua (1805-1808) de Antonio Canova foi tema de muitos escândalos. Pauline era irmã de Napoleão Bonaparte, e após a viuvez, se casou com Camillo Borghese. Um casamento cheio de infidelidades, e Pauline sempre afirmou que foi ela mesma a pousar nua para a sua própria escultura. Um verdadeiro escândalo numa época em que as prostitutas eram as únicas mulheres que geralmente pousavam nuas para os artistas.

galleria-borghese-8

galleria-borghese-9

Em seguida é a vez de visitar três salas como três esplêndidas estátuas de Bernini: o Davi (1623-1624), Apolo e Dafne (1622-1625) e uma das esculturas mais famosas e importantes da arte mundial: o Rapto de Proserpina (1621-1622). Proserpina e Plutão na mitologia romana, Perséfone e Hades na mitologia grega.

rapto-de-persefone-galleria-borghese

galleria-borghese-4
O Rapto de Perséfone

É impossível não ficar boquiaberto diante de tanta delicadeza, beleza e perfeição. Principalmente em um dos detalhes que faz dela uma das mais famosas esculturas de Bernini: os dedos de Plutão que comprimem a coxa de Perséfone, dando a impressão que não estamos vendo uma escultura de mármore, mas a perna de um ser humano.

Na quinta sala se encontra a estátua do hermafrodito, cópia romana (séc. II d.C.) de uma estátua de bronze que atualmente se encontra no Museu do Louvre, em Paris. A estátua foi encontrada nas escavações para construir a igreja de Santa Maria della Vittoria (que hoje em dia também possui uma estátua de Bernini: a êxtase de Santa Teresa D’Avila). Bernini a restaurou em 1620 esculpindo o colchão no qual o hermafrodita dorme.

Na sexta sala encontra-se mais uma estátua dos Berninis: GianLorenzo e seu pai Pietro, aquela de Enéias e Anquises, esculpida entre 1618 e 1620.

galleria-borghese-7
Enéias e Anquises

Ao centro da sétima sala está posicionada a escultura Sátiro em cima de um golfinho, que na verdade é uma reelaboração feita no séc XVI de um busto do séc. I d.C.

A oitava e última sala também hospeda na sua parte central uma reelaboração de uma escultura antiga: o Sátiro dançante, escultura encontrada em uma escavação no séc XVI e restaurada no séc XVIII. Mas essa sala é conhecida sobretudo por ser a “sala de Caravaggio”. Nas paredes estão pendurados seis dos doze quadros de Caravaggio de posse da família Borghese: Rapaz com cesto de frutas, Autorretrato como Baco ou Baco enfermo, São Jerônimo, Nossa Senhora dos Palafreneiros, São João Batista e Davi com a cabeça de Golias.

galleria-borghese-14
Autorretrato como Baco ou Baco enfermo, de Caravaggio

Depois de ver todas essas esculturas chegou a hora de visitar a pinacoteca no primeiro andar:

Segundo andar: a pinacoteca

A pinacoteca é distribuída em doze salas e, como no andar térreo, aqui todos os ambientes também são ricamente decorados.

A sala 9 pode ser considerada uma das mais ricas da pinacoteca porque ali estão quadros de grandes mestres umbros e toscanos do renascimento italiano: Perugino, Andrea Del Sarto, Pinturicchio e Rafael Sanzio.

galleria-borghese-3

Todas as salas da pinacoteca são divididas por temas, como por exemplo a sala 11, dedicada à pintura ferrarese do séc XVI. Ferrara é uma das cidades mais ricas da Emilia-Romagna.

galleria-borghese-15

Na sala 14 há uma exposição de esculturas “menores” de Bernini, ou seja um busto do Papa Paolo V (Borghese), dois bustos do cardeal Scipione Borghese e a Cabra Amalteia. Na sala também encontram-se três quadros pintados por Bernini: Retrato de um jovem, Autorretrato na maturidade e Autorretrato na juventude.

galleria-borghese-2
Para quem nunca soube ou imaginou que existisse um Bernini pintor, aqui estão seus quadros.

Algumas curiosidades e comentários

Em 1807 Napoleão Bonaparte comprou um enorme acervo da coleção arqueológica que pertencia à família Borghese. Estima-se que em tudo foram 300 peças. Por isso algumas esculturas que se encontravam na Galleria Borghese hoje podem ser vistas no Museu do Louvre como o Hermafrodita Dormindo.

Muitas esculturas retratam temas da Mitologia Grega e Romana, portanto, para uma visita completa aconselho o curso que eu fiz em 2013: Curso de Mitologia Greco-Romana na Galleria Borghese, com a Professora Luciene Felix Lamy. Fiz parte da turma inaugural e nas duas visitas posteriores que fiz à galeria, levei comigo a apostila do curso. Foi uma experiência muito enriquecedora. Leia sobre o curso aqui e assista o vídeo do curso aqui.

Aqui no post narrei somente algumas esculturas e quadros de cada ambiente. Você pode visitar o site e conhecer o conteúdo de cada uma das salas.

Galleria Borghese

Endereço: Piazzale Scipione Borghese V (fica na parte da Villa Borghese mais próxima à Via Veneto).

Site: http://galleriaborghese.beniculturali.it/

Como chegar: metrô linha A. Descer na parada Spagna, seguir a seta que indica direção Via Veneto. Ou descer na parada Barberini e subir toda a Via Veneto, atravessar a Porta Pinciana, entrar na Villa Borghese e seguir indicações para a Galleria Borghese.

Ingressos: os ingressos são vendidos em lotes de 2 horas. Se quiser ficar mais de 2 horas é necessário comprar outro ingresso, sair do museu e entrar novamente. Os ingressos são vendidos somente com antecedência e entrada à 9, 11, 13, 15, 15. Site para reservas: http://www.tosc.it/

Preço: 11 euros. A Galleria Borghese está incluída no Roma Pass.

Desde 2015 também é possível visitar o depósito das 15 às 16 e das 16 às 17h. No depósito se encontram todas as obras de arte que não estão expostas na Galleria, mas que precisam de cuidado e conservação permanente. Custo adicional: 2 euros.

Importante: não é permitido entrar com bolsas (pequenas ou grandes), mochilas e malas, tendo que deixar tudo no guarda-volumes. Mas é possível levar consigo celulares e máquinas fotográficas. Só é possível tirar fotos sem flash.

galleria-borghese-16

Conselho: chegue meia hora antes para ir à bilheteria e trocar seu voucher (da compra antecipada on-line) pelo ingresso e para deixar tudo no guarda-volumes.

Esse post faz parte da blogagem coletiva durante a #MuseumWeek2016 e foi promovida pelos blogueiros da RBBV (Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem). Para conhecer outros museus no mundo, clique na lista a seguir:

Temas Gerais:

Casas-museus: a vida cotidiana de gente muito especial | 5 museus interativos ao redor do mundo

Museus na Europa:

Alemanha: Museu de Automóveis na AlemanhaBerlim: Ilha dos Museus | Berlim: 5 museus inusitados em Berlim | Berlim: Museu do Holocausto | Sofia: Museu Nacional da História Militar | Stuttgart: Museu Mercedes-Benz | Zagreb: Museu Croata de Arte Primitiva | Santillana del Mar (Espanha): Museo de Altamira | Paris: Museu d’Orsay | Paris: Centre Pompidou | Paris: Louvre | Meudon: Musée Rodin | Paris: Museu do Louvre X Museu d’Orsay | Atenas: Museu de Atenas | Amsterdam: Sex Museum | Budapeste: Museu do Terror | Dublin: 4 museus gratuitos em Dublin | Florença: Palazzo Pitti | Florença: Corredor Vasariano da Galleria degli Uffizi | Milão: Pinacoteca de Brera | Roma: Galleria Borghese | Roma: Museus Vaticanos | Cracóvia: Campos de concentração Auschwitz-Birkenau | Londres: Madame Tussauds | Londres: British Museum | Londres: Victoria and Albert Museum | Praga: Museu do Comunismo | São Petersburgo: Hermitage Museum | Martigny (Suíça): Fondation GianaddaIstambul: Museu de Arte Turca e Islâmica | Paris: Antigo Egito no Museu do Louvre | Dachau: Visitando o Campo de Concentração em Dachau | Sevilla: Museo de Artes y Costumbres Populares de Sevilla | Londres: Museu of London | São Petersburgo: Museu da Vodka | Estocolmo: Museu Vasa de Estocolmo no Museum Week 2016

Museus no Brasil e América do Sul

Brumadinho (MG): Museu Inhotim | Petrópolis (RJ): Museu Imperial | Rio de Janeiro: Museu do Amanhã | Rio de Janeiro: Museu Nacional de Belas Artes | São Paulo: Museu do Futebol | Recife: Museu do Frevo | São Paulo: Museu Palácio dos Bandeirantes | Porto Alegre: Fundação Iberê Camargo | Rio de Janeiro: Museu da República | Brasília: CCBB | São Paulo: Museu Casa Guilherme de Almeida | Porto Alegre: Museu de Ciências e Tecnologia da PUC-RS | Porto Alegre: Museu Julio de Castilhos | Curitiba: Museu Oscar Niemeyer (Museu do Olho) | São Paulo: Museu de Zoologia da USP | São Paulo: Museu Catavento – Espaço Cultural da Ciência | Santiago (Chile): Museo Chileno de Arte Precolombino | Lima (Peru): Museu da Inquisição | Brasil: 9 museus no Brasil | Alcântara (MA): Museu Histórico de Alcântara

América do Norte: EUA e México

Atlanta (Georgia): Fernbank Museum of Natural HistoryMemphis (Tennessee): Graceland | Austin (Texas): Bibliotecas e Museus presidenciais nos EUA, com foco para o Lyndon Johnson Presidential Library and Museum | Washington (DC): Museu do Ar e Espaço | San Diego (Califórnia): Museus no Balboa Park | Los Angeles: The Broad MuseumAnchorage (Alaska): Museu de Anchorage | San Francisco (Califórnia): Melhores Museus de San Francisco | Cidade do México (México): Museu Frida Kahlo | Cidade do México: Museu Soumaya

Museus na Ásia

Xi’an (China): Museu Qin e os Guerreiros de TerracotaHo Chi Minh (Vietnã): Museu da Guerra (War Remnants Museum) | Inuyama (Japão): Museu Meijimura

Museus na Oceania

Sydney (Austrália): Museu de Arte Contemporânea

38 thoughts on “A Galleria Borghese e a suprema contemplação da beleza

    1. Nini, devo confessar que não sou uma ótima fotógrafa. Acho que ao vivo é infinitamente mais bonita. Beijos e obrigada por comentar.

    1. Muitos dias ou muitas viagens a Roma. Cada vez dá para descobrir algo novo e sensacional. Beijos e obrigada por comentar.

    1. Realmente é algo difícil de descrever. Acho que todos deveriam ir lá e ver com os próprios olhos. Obrigada por comentar 🙂

  1. Ei!!
    Maravilhoso!Mandou muito bem em compartilhar as informações sobre a Galleria Borghese. Certamente da próxima irei visitá-la. Incrível a nua de Canova.

    1. Obrigada, amiga! Realmente esse espaço é um desbunde, tanto pelas obras quanto pelo ambiente em si. Beijossssssss

    1. Querida, quanta gentileza! Nem sou lá uma grande fotógrafa, o que me faz compreender que realmente o lugar tem todo o mérito pela beleza. Uma beijoca, Lu

  2. Lu, morri!!! Na universidade, tivemos aulas sobre ele durante quase um mês. Lembro que a prof mostrava os slides e eu babava de vontade de conhecer. Agora com o seu post, então…. E muito bom saber que ele não é lotado. beijão

    1. Só podem entrar no máximo 360 pessoas por turno. Durante a semana fica bem tranquilo. Acho que você vai adorar! Beijos e obrigada por comentar. Beijo.

  3. Eu não gostei muito de Roma – da cidade, em si. Mas inegável que ela tem tanta coisa a ser desvendada. Eu já tinha ouvido falar da Galleria Borghese, mas infelizmente não consegui incluir nos meus dias por lá. Ficam para a próxima vez. Já quero voltar!

    1. Quem sabe da próxima vez você não curte mais? Há muitas coisas legais, alternativas e modernas acontecendo também. Beijo e obrigada por comentar, Lu

  4. Bom dia,

    Li em algum lugar, que caso queira usar o Roma Pass para entrar na Galeria Borghese, é preciso telefonar para lá para confirmar. Procede tal informação?

    1. Procede, porque a Galleria Borghese é um museu que só se tem acesso com reserva antecipada: 2 horas para cada visitante.

  5. Que post excelente! Não ia incluir a Galeria em minha viagem á Roma, mas depois desse post sou obrigada a incluir! Você acha que pra uma viagem em novembro é preciso comprar com antecedência o ingresso?? Se eu comprar o ingresso antecipado pelo site também tenho que ligar pra lá pra confirmar a reserva??

Deixe uma resposta

Top