Você está aqui
Home > Viver em Roma > Vida de pobre na Itália: fazer compras no discount

Vida de pobre na Itália: fazer compras no discount

Em um país onde as pessoas só pensam em comer e falam sempre em comida, existem supermercados “diferenciados” conforme a renda familiar. E foi assim que surgiram os hiperdiscounts, ou simplesmente discount, como “supermercado dos pobres”. Mas com a crise e muitas famílias apertando o cinto, será que ele ainda é visto assim? Saiba um pouco sobre a “vida de pobre” na Itália!

Quando cheguei na Itália e ainda estava naquela fase de “imigrante se adaptando à vida local”, aconteceu uma coisa engraçada, porque descobri um “supermercado estranho”.

Foi assim… minha máquina de lavar roupas parou de funcionar, e eu procurei uma lavanderia dessas que a gente coloca moedas. E quando descobri a lavanderia, vi que ao lado tinha um supermercado. Logo pensei que enquanto as roupas estavam lavando, ou secando, eu poderia “matar” o tempo fazendo as compras da semana.

vida-de-pobre-na-italia-3

 

Deixei as roupas lavando e antes de sair, fui advertida pela funcionária polonesa super mal-humorada, que não era dever dela tirar as roupas da máquina. Portanto me ameaçou pediu que eu voltasse dentro dos 30 minutos programados para a lavagem.

Quando entrei nesse supermercado achei tudo um pouco estranho, e a minha primeira impressão é que estivessem para inaugurá-lo. Mas ao mesmo tempo vi as pessoas comprando e passando no caixa, pagando e embalando suas compras.

O que me causou essa estranheza? No supermercado nada era arrumadinho, todos os produtos ficavam nas caixas de papelão apoiadas às prateleiras, e a gente mesmo pegava o produto ou até mesmo abria as caixas. Aliás, havia caixas no chão mesmo. Outra coisa “interessante” é que esse supermercado não tinha carrinhos, mas só cestos. E via que as pessoas compravam poucas coisas.

vida-de-pbre-na-italia-2

Uma vez que consegui compreender que aquilo ali era mesmo um supermercado, fui procurar os produtos e marcas aos quais estava acostumada. Tive mais um “choque”: no discount não vendiam nenhuma marca famosa. Você quer maionese Hellmann’s? Não tem! Quer iogurte Danone? Não tem também! Coca-Cola? Esqueça! Encontrará tudo isso, mas talvez a marca de maionese “Tio Zezinho”, o iogurte “três vacas” e o refrigerante de Cola genérico.

Seja bem-vindo à vida de pobre na Itália… ou ao mundo do discount

O discount nasceu como supermercado super barato e para baixar o preço… o cliente deve pegar os produtos dentro das caixas, não há embalador (mas isso também não tem nos supermercados “normais”), e só trabalham com produtos pequenos e marcas totalmente desconhecidas.

Outra característica do discount é que também há poucas marcas para cada tipo de produto. Se em um supermercado da grande rede varejista a gente encontra 10-15 marcas diferentes de macarrão, no discount só existem no máximo 5 marcas. Ketchup, maionese e até… papel higiênico? Muitas vezes tem só 1-2 marcas.

vida-de-pobre-na-italia-4

Então quando o discount surgiu, ele era o “supermercado dos pobres”: a gente via bastante aposentado, imigrante (olha eu aqui!), pedreiros indo comprar um sanduba e uma cervejinha polonesa ou alemã na hora do almoço.

Mas a verdade é que com a crise, e cada vez mais famílias procurando se alimentar gastando menos, hoje em dia algumas redes de discount se expandiram e já fazem uma séria concorrência aos supermercados tradicionais. Alguns agora tem açougue e peixaria, já não colocam mais os produtos jogados dentro das caixas, é tudo arrumadinho. Aqui e acolá também há marcas que também estão nos “supermercados normais”. E hoje em dia, à diferença de anos atrás, as pessoas enchem seus carrinhos nesses supermercados.

As redes mais famosas são Todis, Tuodi e Eurospin. O Eurospin deu uma melhorada e pelo menos nos bairros mais classe média já não colocam mais produtos nas caixas, e também já vendem alguns “produtos de marca”. Mais para o norte da Itália, também tem a rede de supermercados alemã Lidl, que trabalha mais ou menos no mesmo esquema.

Outra característica desses supermercados é que eles raramente ficam nas melhores ruas comerciais dos bairros, mas geralmente em galpões e garagens um pouco escondidas. Ou então nas áreas mais populares de grandes bairros residenciais.

Como é a qualidade dos produtos? E os preços?

Algumas coisas são boas, e algumas não! E raramente a gente encontra algum produto ótimo, de revirar os olhinhos!

Acredito que para comprar produtos de limpeza, por exemplo, vale muito a pena ir ao discount.

vida-de-pobre-na-italia-8

Quanto aos preços, às vezes um produto custa três ou quatro vezes menos do que os supermercados normais. Mas a verdade, é que a grande rede de distribuição agora tem produtos da casa ou de marcas anônimas também na prateleira mais baixa das gôndolas. Os produtos baratinhos ficam quase escondidos, mas existem!

Estudos de casos: o iogurte Muller, macarrão de Gragnano e bebidas famosas

Quando cheguei na Itália, sempre que ligava a tevê assistia a propaganda do iogurte Müller. A Müller é uma empresa alemã que faz iogurtes deliciosos e bem cremosos, e quando desembarcou na Itália só conseguiu ser vendida do discount.

Os iogurtes eram tão bons, que assim que chegou na Itália ela era vendida no “supermercado dos pobres”, mas logo foi para o “supermercado dos ricos”. Hoje é uma das marcas de iogurte mais caras.

vida-de-pobre-na-italia-6
A propaganda dos anos 90 diz “Faça amor com o sabor”, e ela ainda é considerada uma das propagandas publicitárias de maior sucesso da Itália. Foto: Divulgação.

Outro exemplo é algumas marcas de massa de Gragnano (uma massa napolitana) que também entrou na grande distribuição varejista graças aos discounts, e hoje também está em todo lugar.

O segredo do discount é você ir testando para saber que produtos valem a pena comprar por lá. A famosa marca de água mineral San Benedetto produz umas garrafas de chá já prontas e refrigerantes genéricos somente para os discounts. E a diferença de preço é mais ou menos assim: no discount (com nome comercial feio e embalagem feia) custa 0,60 e no supermercado normal (com nome comercial chique e embalagem mais elaborada) custa 1,50.

Portanto, se seu objetivo é economizar, a solução é fazer compras diferenciadas como fazem muitos italianos: supermercado, discount e feirinha do bairro.

vida-de-pobre-na-italia-5

Acho que um dos problemas do discount é que por ser um supermercado com jeitinho esculachado, dá a impressão que uma família de baixa renda merece mesmo um ambiente e produtos de segunda categoria.

Boas compras e boa economia! O discount é aquele tipo de supermercado onde uma pessoa sempre encontra algo para comprar com as poucas moedas que tem nos bolsos do seu casaco, ou no fundo da sua bolsa.

Sobre a vida em Roma e na Itália, leia também:


Veja a seguir serviços essenciais para a sua viagem


  • Seguro Viagem obrigatório para Itália e Europa em geral
A Itália faz parte dos países europeus que exigem seguro de viagem com apólice mínima de € 30.000. Faça o seu com a Real Seguros. FAÇA COTAÇÃO AGORA E GANHE 10% DE DESCONTO
  • Procurando hospedagem em hotel ou apartamento?
Reserve hotéis e apartamentos em qualquer cidade do mundo. Site em português e cotação em Reais. BUSCAR HOTEL
  • Ingressos Fura-Fila para o Coliseu
Se você não quiser perder preciosas horas da sua viagem em filas, reserve aqui o bilhete para o Coliseu, Fórum Romano e Palatino. COMPRAR INGRESSO COLISEU
  • Evite as filas quilométricas dos Museus do Vaticano
Quer evitar filas que dobram o quarteirão? Então a melhor coisa a fazer para ver a Capela Sistina, é comprar seu ingresso antecipado. COMPRAR INGRESSO VATICANO

Conteúdo Semelhante

2 thoughts on “Vida de pobre na Itália: fazer compras no discount

  1. Olá! Adorei o post! Amo Roma e pretendo voltar para ficar um tempo a mais alugando um ape. Seria ótimo fazer umas comprinhas em conta! Rs onde fica alguns desses mercados?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Top