Início Uncategorized O Que Fazer no Vaticano? Dicas Completas!

O Que Fazer no Vaticano? Dicas Completas!

Publicado em:

Situado no “meio de Roma”, a cidade-estado do Vaticano é uma joia mesmo para aqueles que não professam a fé Católica!

Se você está se perguntando sobre o que fazer no Vaticano, saiba que, nessa pequena cidade com menos de 0,5km2 (isso mesmo, menos de meio quilômetro quadrado) há muitas obras e preciosidades que fazem parte da história mundial.

Obviamente, além da parte histórica e religiosa, por lá existem os eventos religiosos e também alguns programas mais turísticos.

Leia mais:

Portanto, se você estiver de passagem por Roma, não pode deixar de conhecer o Vaticano.

A seguir várias dicas de o que fazer no Vaticano. Leia:

1. Praça São Pedro

Essa talvez seja uma das praças mais famosas do mundo. Construída por Bernini, na metade do século XVII (entre os anos de 1656 e 1667) por determinação do Papa Alexandre VII. A Praça de São Pedro pode abrigar mais de 300 mil pessoas!

Situada aos pés da Basílica de São Pedro, o que mais impressiona nessa praça são suas mais de 280 colunas e quase 90 pilastras que ficam no seu entorno! Sobre as colunas ficam 140 estátuas de santos, feitas em 1670, pelos discípulos de Bernini.

No meio da praça fica um obelisco egípcio, levado para Roma em 40 d.C. por Calígula. Esse obelisco, primeiramente, ficava no circo romano que existia ali perto. Em 1586, mudou-se o obelisco de local, para a posição atual (ainda sem a construção da praça, como é hoje). Essa transferência do obelisco foi feita para celebrar a vitória do cristianismo sobre os pagãos e hereges.

Além da belíssima arquitetura, é na praça de São Pedro onde são realizados grandes eventos religiosos para os que professam o Catolicismo. É ali que ocorre o Udienza Generale (quando o Papa “passeia” pela praça) e o Angelus (quando o Papa interage com o público através da pequena janela da biblioteca do Vaticano).

2. Basílica de São Pedro

Como falei, junto à Praça São Pedro, fica a Basílica mais importante do Catolicismo: a Basílica de São Pedro! Esse é um dos locais cristãos mais visitados no mundo! A Basílica possui uma área de 23.000m² e pode receber mais de 60 mil pessoas!

A construção da basílica aconteceu entre os anos de 1506 e 1626, tendo sido consagrada em 18 de novembro de 1626. Diversos artistas famosos participaram da sua construção, como Bramante, Michelangelo e Bernini.

A imensa cúpula projetada por Michelangelo, o qual, infelizmente, morreu sem vê-la acabada.

O nome da basílica é em razão do primeiro Papa da história: São Pedro. Inclusive sua ossada está enterrada nos subterrâneos da basílica!

O acesso à Basílica é permitido para pessoas com roupas adequadas ao local (que é um lugar sagrado). O horário de visitação sofre uma pequena alteração de acordo com a época do ano, veja:

  • De 1 de outubro a 31 de março: das 07h às 18h30
  • De 1 de abril a 30 de setembro:  das 07h às 19h

3. Ver o Papa

Quando alguém vai a algum lugar e não visita a atração principal, costuma-se dizer que é “como ir a Roma e não ver o Papa”. Assim, a principal atividade para se fazer no Vaticano, claro, é ver o Sumo Pontífice.

o que fazer em roma

Nós temos um artigo completo de como conseguir ver o Papa durante sua passagem pela cidade. Mas, em geral, essas são as opções:

  • Quartas-feiras: ocorrem as audiências gerais, na Praça São Pedro ou no Auditório Paolo VI (às vezes, durante o inverno). Em Julho não há audiências com o Papa e durante o ano o Papa faz algumas viagens ao exterior.
  • Domingo de manhã: quando o Papa celebra o Angelus. Nesse dia, ele aparece na janela do escritório na Biblioteca Vaticana;
  • Datas especiais: o Papa também faz algumas celebrações em datas especiais como: via crucis na sexta-feira santa, quarta-feira de cinzas, domingo de páscoa, Dia de São Pedro e Paulo (padroeiros de Roma) em 29 de junho, Festa da Imaculada (8 de Dezembro), Missa do Galo (24 de Dezembro), Missa vespertina de 31 de dezembro.

4. Tirar fotos da Guarda Suíça

Para quem não sabe, a Guarda Suíça é responsável pela segurança do Papa.

Antigamente, essa Guarda era formada por soldados mercenários suíços, que combatiam por diversas potências da Europa, durante os séculos XV e XIX em troca de um bom pagamento. Atualmente, a Guarda Suíça só serve o Vaticano.

A Guarda Suíça do Vaticano foi formada em 1506, em atendimento à solicitação de proteção feita pelo Papa Julio II, em 1503 aos nobres da Suíça.

E por que seria tão interessante tirar fotos dessa Guarda? Bem, porque eles possuem um uniforme bem diferente do usual!

O uniforme que hoje a Guarda usa foi desenhado por Jules Répond (que foi comandante entre 1910 e 1921) com base no modelo que se atribui a Michelangelo. Atribuição, porém, da qual não há nenhuma prova escrita.

O uniforme se destaca por conta de suas cores alegres: azul, vermelho e amarelo, cores utilizadas nos brasões e distintivos da família dos Médicis, família de origem do Papa Leão X.

O capacete é decorado com uma pluma vermelha e as luvas são brancas. Além disso eles não utilizam coturnos ou botas: vestem meias que vão até os joelhos por uma liga dourada.

Vale a pena fotografar essa particularidade enquanto você estiver visitando o Vaticano.

5. Subir na cúpula da Basílica de São Pedro

Outro programa bastante famoso em Roma é subir até a Cúpula da Basílica de São Pedro! Com certeza esse é um passeio que vale muito a pena ser feito, já que oferece uma das mais belas vistas de Roma!

Da cúpula da Basílica de São Pedro temos uma das mais fantásticas vistas panorâmicas de Roma

Contudo, devo alertar que não é um passeio para ser feito por todos! Minha sugestão é que as seguintes pessoas não subam até a Cúpula:

  • Hipertensos;
  • Pessoas com mobilidade reduzida;
  • Gestantes (a depender da condição física e do período gestacional);
  • Crianças com menos de 10 anos;
  • Claustrofóbicos

E o motivo dessa sugestão é bastante simples: são mais de 300 degraus para subir, em alguns trechos há corredores íngremes e apertados. Ou seja, todos seguem em uma espécie de fila indiana, por locais estreitos, não há como voltar, apenas seguir. Então, esteja ciente das condições desse passeio.

E, se você quiser mais informações sobre como fazer para subir na cúpula da Basílica, temos um artigo inteiro falando sobre essa visita.

6. Visitar os Museus do Vaticano

Se você é fã de história ou apreciador da arte, não pode deixar de conhecer os Museus do Vaticano.

Considerado como um dos complexos museológicos de maior importância mundial, nos Museus do Vaticano o visitante tem acesso a obras desde esculturas antigas à arte egípcia, do até a arte moderna e contemporânea. E, claro, o auge da visitação é apreciar a belíssima Capela Sistina.

Atualmente os Museus do Vaticano são formados por um conglomerado de nove museus principais. Além disso, também fazem parte do complexo outras coleções e ambientes, como a própria Capela Sistina, o Apartamento Borgia e as Salas de Rafael.

Fique atento, pois existem algumas datas nas quais os Museus não abrem, são elas: domingos (com exceção do último domingo do mês e em alguns feriados religiosos)

Se você quiser saber mais sobre os Museus do Vaticano, temos esse texto aqui, bem completo, com diversas informações importantes.

Passeio Guiado na Capela Sistina: Contrate uma guia brasileira em Roma

7. Ver mostras gratuitas no Braccio di Carlo Magno

Vocês sabem o que é o Braccio di Carlo Magno (trad. lit.: Braço de Carlo Magno)?

Nesse caso, o termo braço está para anexo ou mais propriamente, o corredor reto que está ligado à parte curva do Colunado da Praça São Pedro, projetado por Bernini. Nessa parte do pórtico existe uma grande estátua equestre de Carlo Magno, que no ano 800 foi coroado imperador, justamente aqui na Basílica de São Pedro.

A seta está apontando para o corredor reto que se chama Braccio di Carlo Magno.

O Braccio di Carlo Magno hoje em dia abriga um pequeno museu, com entrada geralmente grátis e há diferentes mostras durante o ano.

Apesar de estar no Vaticano, nem sempre as mostras são de caráter religioso. Já pude ver, por exemplo, uma mostra dedicada ao arquiteto, engenheiro e escultor espanhol Santiago Calatrava.

8. Visitar a Necrópole Vaticana e o Túmulo de São Pedro

Visitar o túmulo de São Pedro é um dos passeios mais surpreendentes que se possa fazer no Vaticano, conhecendo assim os subterrâneos da Basílica de São Pedro.

A Basílica que conhecemos atualmente começou a ser construída em 1506 por cima da antiga basílica de 326 d.C., da época do imperador Constantino. A antiga basílica tinha sido construída ao lado do Circo de Nero e por cima de uma antiga necrópole, onde a tradição afirma que foi enterrado o apóstolo Pedro.

Portanto, hoje em dia é possível reservar a visita ao tumulo de Sao Pedro e aos outros túmulos que formam a Necrópole Vaticana: andar pelo subterrâneo, ver as ruínas e escavações da antiga basílica e também o local onde foi encontrada a ossada e afirma-se estar o tumulo de Sao Pedro.

9. Comprar lembrancinhas religiosas

Outra coisa que você pode fazer no Vaticano é comprar alguns souvenirs. As opções, tanto de objetos como de lojas, são enormes!

Por lá o turista encontra terços e rosários, medalhinhas, calendários, camisetas, canetas, pôsteres, crucifixos, fotografias… enfim, é uma infinidade de artigos religiosos que você pode comprar tanto para presentear como para guardar como recordação da sua viagem!

10. Compras nos arredores do Vaticano

Já que estamos falando de compras de lembrancinhas, saiba que nos arredores do Vaticano há opções para se fazer compras em geral, ou até mesmo opções gastronômicas.

Isso porque no entorno do Vaticano ficam duas ruas ótimas para algumas comprinhas: a Via Ottaviano e Via Cola di Rienzo.

Na Via Ottaviano você encontra lojas mais fast fashion. Lojas como FootLocker, Intimissimi, Kiko MakeUp, Desigual, Oysho, estão por lá!

Além disso, na Via Ottaviano fica a excelente sorveteria Lemon Glass, que por sua vez tem um bar (na parte dos fundos da loja) e servem croissant doces feitos por uma das melhores pâtisserie de Roma!

Outra rua com opções para compras, e que fica próximo aos Museus do Vaticano, é a Via Cola di Rienzo. Essa rua não é tão extensa, mas reúne boas marcas, incluindo algumas marcas de luxo na loja de departamentos Coin Excelsior.

Leia Mais:

9. Visitar o vizinho Castelo Sant’Angelo

Além de todas as dicas que demos aqui, há ainda um outro passeio que você pode fazer quando estiver conhecendo o Vaticano. Trata-se do Castelo Sant’Angelo.

Esse Castelo não fica dentro da Cidade do Vaticano, mas está bem próximo dela (menos de um quilômetro!).

O Castelo Sant’Angelo é uma fortaleza situada na margem direita do rio Tibre, que teve sua construção iniciada no ano 135, por determinação do Imperador Adriano.

Durante muitos séculos foi utilizado como refúgio dos papas e inclusive tesouro do Vaticano.

Atualmente, o Castelo está dividido em cinco andares, que levam a locais como celas onde permaneceram presos alguns personagens da história.

As visitações podem ser feitas diariamente, das 09h às 19h30.

Leia também:

Luciana Rodrigues
Guia brasileira em Roma e Vaticano. Moradora de Roma há mais de 21 anos. Idealizadora e produtora de conteúdo do Roma Pra Você, para quem quer organizar a sua viagem a Roma em plena autonomia. Seja bem-vindo(a) e prazer em conhecê-lo(a)!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Dicas Mais Procuradas

- Advertisement -