Início Dicas e Roteiros da Itália Campania O Que Fazer em Amalfi: Antiga República Marinara Italiana

O Que Fazer em Amalfi: Antiga República Marinara Italiana

Publicado em:

Amalfi é a principal cidade da Costa Amalfitana, e inclusive inspirou o nome da localidade.

Se hoje muitos de nós pensamos em Amalfi pela beleza natural que atrai milhares de visitantes por ano, também é interessante lembrar que ela foi uma das mais importantes cidades de comércio marítimo da Itália.

Amalfi, Pisa, Gênova e Veneza foram os quatro mais importantes portos comerciais, e Amalfi foi a primeira das quatro a ter o título de República Marinara.

Leia também:

Essas quatro cidades compreenderam que poderiam ser importante sede de comércio no mediterrâneo entre a península itálica, bizantinos e árabes.

Isso fez com que além de ser uma das cidades itálicas mais populosas da idade média, ela também era um importante lugar de mistura de culturas, povos, além, claro, de possuir a riqueza gerada pelo comércio.

O que fazer em Amalfi: atrações, praia e gastronomia

Visitar o Duomo de Amalfi: a Catedral de Santo André

duomo de amalfi

O Duomo de Amalfi tem a função de Catedral (sede arcebispal) e é dedicada a Santo André.

Assim que chegamos no pequeno centro histórico, mais propriamente na Piazza Duomo, nos damos logo conta da sua presente e da imponente escadaria que antecede a entrada do duomo.

Construída no século IX, a igreja tem um estilo arquitetônico românico, com influências árabo-normanas. As várias reformas e transformações pelas quais passou ao longo dos séculos também fez com que ela ganhasse adições nos estilos: gótico, barroco e bizantino. Também existem duas colunas de granito egípcio.

A porta do Duomo é construída em bronze turco. Na época veio de Constantinópolis, hoje a cidade de Istambul.

Crédito: Shutterstock | Por: Gabriele Maltinti

Considerando as múltiplas culturas e povos com os quais a cidade sempre teve contato, não é de se espantar de todas essas influencias arquitônicos do Duomo de Amalfi.

O complexo do duomo também inclui a Basílica do Crucifixo, o Claustro do Paraíso e a Cripta de Santo André, com as relíquias do santo.

Não perca seu precioso tempo em filas!

Ingresso fura-filas + tour com arqueólogo

Ruínas de Pompeia e Vulcão Vesúvio: excursão de 1 dia

Claustro do Paraíso         

Crédito: Shutterstock | Por: Diego Fiore

O Claustro do Paraíso é um dos edifícios mais famosos da Costa Amalfitana.

Ele faz parte do complexo da catedral e foi construído na segunda metade do séc. 13 pelo arcebispo da cidade.

O objetivo da construção era servir de cemitério monumental para os cidadãos ilustres.

No cemitério existiam várias capelas pintadas com afresco e sarcófagos monumentais.

Após um perído de abandono a partir do século 17 e restauros feitos no início do século 20, hoje ainda restam alguns sarcófagos com decorações importantes, como “o rapto de perséfone”, “a loba que amamenta os gêmeos Rômulo e Remo”, “as bodas de Tétis e Peleu”, e um sarcófago romano do séc. 4 d.C.

A visita ao claustro é paga e o ingresso custa 3 euros.

Museu do Arsenal de Amalfi

Um dos antigos barcos típicos de Amalfi | Crédito: Shutterstock

Não muito longe da beira-mar, se encontra o Arsenal da Cidade, onde durante toda a Idade Média existiam os estaleiros de construção das embarcações comerciais da República e do Ducado de Amalfi.

Portanto, nada melhor do que construir um museu para contar sobre a grande potência marítima local, quando junto com Gênova, Veneza e Pisa, eram os portos absolutos da península itálica e também estavam entre os mais importantes do mediterrâneo.

Uma das principais rotas comerciais era ligar Amalfi ao porto de Constantinópolis.

O museu possui duas galerias com teto em cruzaria. Hoje o ambiente fica um  pouco afastado do mar, mas na idade média o arsenal dava diretamente para as águas do mar da cidade.

Das muitas coisas interessantes que se pode ver no museu, existe teoria que a bússola foi criada no séc. 14 por um cidadão amalfitano, e também a exposição dos Tari, a moeda amalfitana em circulação durante a idade média.

Seu nome completo é: Museo della Bussola e del Ducato Marinaro di Amalfi, popularmente conhecido como Museu do Arsenal de Amalfi.

Site: https://www.piccolimusei.com/museo/museo-della-bussola-e-del-ducato-amalfitano/

Museu do Papel (Museo della Carta)

Outro pequeno, mas interessante museu local, é o museu do papel.

Novamente é importante contextualizar a importância da república marinara e do comércio marítimo, para compreender a importância do papel.

O papel começou a ser fabricado na China, no início do séc 2. d.C. Milênios depois, graças ao rico comércio com o Oriente, as repúblicas marinaras italianas já faziam amplo uso do papel no séc 13.

Hoje sabemos que parte da produção do papel usado nas cidades eram produzidos no oriente, sobretudo na Siria e Palestina, chegando inclusive a existirem acordos de exclusividade entre essas localidades do oriente e as cidades italianas.

Grotta dello Smeraldo      

Crédito: Shutterstock

A Gruta da Esmeralda foi descoberta casualmente por um pescador, nos anos trinta.

Obviamente ganhou esse nome por causa da cor da água.

A entrada da gruta fica um pouco afastada do centro e há dois modos de ter acesso à ela:

Se você estiver viajando de carro, ao pegar a estrada SS 163, existe um pequeno estacionamento. Você pode deixar o carro ali e descer as escadarias ou um elevador e entrar na gruta.

Também há passeios de barco organizados com entrada na Grota dello Smeraldo.

A entrada custa 5 euros e para informação sob re os passeios de barco, dirija-se ao esc ritio do turismo de Amalfi, no site: http://www.amalfitouristoffice.it/

Um passeio pelo Rione Vagliendola

Infelizmente muitas pessoas que visitam Amalfi se acontentam em ver a Piazza Duomo, a Catedral e a parte mais próxima à beira-mar.

Um passeio bem interessante pode ser aquele de circular pela cidade, e conhecer o Bairro (Rione) Vagliendola.

O bairro tem várias ruelas e algumas ficam entre o maciço rochoso da costa e se debruça para o mar. Aqui ainda existem vilas aristocráticas e casas históricas.

Torre dello Ziro: a mais linda vista de Amalfi

Crédito: Shutterstock

Da localidade Pontone é possível em cerca de meia hora de caminhada chegar a um lugar mágico: a Torre dello Ziro.

De lá é possível ter uma das vistas mais lindas tanto da cidade de Amalfi quanto do mar mediterrâneo.

Se trata de uma antiga torre de vigilância, assim como existiam outras em toda a costa da Itália, e fica entre Amalfi e Ravello, outra cidadezinha deliciosa da Costa Amalfitana.

Para chegar até a Torre dello Ziro, pega-se um ônibus no centro de Amalfi até a localidade Pontone. A partir da praça dessa cidadezinha de Pontone há várias indicações para os senteiros e escadarias que conduzem até a Torre dello Ziro.

São cerca de meia hora de caminhada. Existe um senteiro que liga a Torre dello Zito até Ravello, em também cerca de meia hora de caminhada ou pegar um caminho/escadaria e chegar até Atrani, talvez uma cidades menos batidas da Costa Amalfitana, mas que merece uma visita.

O porto e as praias de Amalfi

Crédito: Shutterstock

Quem chega de barco, atraca no pequeno porto da cidade. Para curtir um pouco o mar e praias mais tranquilas, é necessário afastar-se um pouco do “centrinho” da cidade.

A praia principal de Amalfi tem o mesmo nome da praia principal de Positano: ambas se chamam Marina Grande.

Ela fica bem perto do embarcadouro das balsas, podemos dizer que é a praia mais barulhenta e cheia. Geralmente quem escolhe fazer um bate e volta rápido ou quer curtir a cidade com pressa geralmente escolhe a Marina Grande. No verão, acho bem desaconselhável!

Já a praia do Duoglio dista cerca de 1,5 km do centro de Amalfi e é uma praia que curti conhecer! A água do mar é limpa e é possível alugar barraca de praia e cadeiras. Existe um pequeno restaurante na praia que prepara ótimos pratos de frutos do mar.

Para chegar à praia do Duoglio é possível caminhar por senteiros no meio da natureza. Caso decida acelerar e chegar pela estrada estatal, saiba que depois há mais de 400 degraus para descer. De Abril a pelo menos final de Setembro, é possível chegar até a praia do Duoglio de barco, partindo do centro da cidade.

Finalmente, a praia de Santa Croce é bem exclusiva porque só se chega lá de barco.

Excursões na natureza

Esse é um lado de Amalfi que eu quero muito explorar. Como já citado acima, quando falei da Torre dello Zirro, existem vários caminhos que ligam uma cidade à outra da costa.

Em alguns casos são senteiros, mas em outros casos também há escadarias, com muitos degraus.

Um dos caminhos de trekking se chamado Sentiero degli Dei (Senteiro dos Deuses) e liga Positano a Agerola, passando por Amalfi.

O escritório do turismo de Amalfi, oferece excursões guiadas e algumas contemplam esse percursos de trekking.

O que comer em Amalfi: pratos, bebidas e sobremesas com limão

Crédito: Shutterstock

O limão da Costa Amalfitana é famosíssimo em toda a Itália.

Quando passeamos pela costa, vemos várias plantações em terraços, o que faz com que além de produtos alimentares, os limões também sirvam de decoração, desde pratos de cerâmicas a toalha de mesa.

Além do risotto de limão servido e do scialatielli all’amalfitana servidos em vários restaurantes, jamais passe por Amalfi sem provar o limoncello, delicioso licor de limões cuja paternidade é disputada entre Amalfi, Capri e Sorrento.

Para sobremesa escolha um sorvete ou um sorbet de limão. Pessoalmente, eu nunca perco a chance de provar uma Delizia al Limone. Os doces são feitas com pão-de-ló, creme de limão e banhados no limoncello. Irreristíveis.

Hotéis em Amalfi

Para uma seleção de hotéis em Amalfi, clique nos links a seguir:

Como chegar em Amalfi

Existem várias maneiras de se chegar a Amalfi, considerando os pontos de partida: Nápoles, Sorrento e Salerno.

Chegar em Amalfi de carro

Ao chegar em Nápoles, caso esteja de carro ou decida alugar um carro, Amalfi fica a cerca de 60 quilômetros.

Saiba que não é fácil estacionar e os estacionamentos são raros e caros.

Chegar em Amalfi com trem + ônibus

Para quem vai se locomover de Nápoles a Amalfi com os meios de transporte, é necessário pegar um trem até Sorrento. E depois, ao chegar em Sorrento, existe um ônibus da empresa local SITA que para na frente da estação de Sorrento.

O ônibus para em várias cidades da Costa Amalfitana até chegar a Amalfi.

A viagem de Nápoles a Amalfi com os meios de transporte dura cerca de 2h, mas considere que as estradinhas da costa são estreitas. Portanto, no verão, finais de semana e feriados, a viagem pode ser mais demorada a causa de engarrafamentos

Chegar em Amalfi de barco

De 1 de Abril a 31 de Outubro é possível chegar até a Costa Amalfitana de barco. Nesse caso, as balsas partem de Salerno e de Sorrento e param em Amalfi e Positano.

Mais ou menos no mesmo período são ativadas as balsas e barcos rápidos que ligam Positano a Capri e vice-versa.

Porém o maior incremento desse itinerário, acontece mesmo no final da primavera e alto verão, a dizer, de maio a agosto.

Chegar em Amalfi com transfer

Um transfer privativo pode ser a melhor maneira de chegar à Costa Amalfitana. Considere que se você estiver viajando com um grupo familiar, o tempo que gastará trocando de meios de transporte, no final, das contas o preço e o cansaço não compensam a economia.

Mais dicas do Sul da Itália para a sua viagem

Dicas de Tour na Costa Amalfitana e arredores

Se você quiser curtir a experiência de fazer ótimos passeios na Costa Amalfitana, Nápoles, passeios de barco de ida e volta para Capri, veja algumas seleções a seguir, oferecidas pela empresa parceira Get Your Guide:

Luciana Rodrigues
Guia brasileira em Roma e Vaticano. Moradora de Roma há mais de 21 anos. Idealizadora e produtora de conteúdo do Roma Pra Você, para quem quer organizar a sua viagem a Roma em plena autonomia. Seja bem-vindo(a) e prazer em conhecê-lo(a)!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Dicas Mais Procuradas

- Advertisement -
error: