Você está aqui
Home > Atrações > museus > Cinco museus pequenos em Roma que valem a pena

Cinco museus pequenos em Roma que valem a pena

Visitar museus pequenos em Roma pode resolver os grandes dilemas quando visitamos museus grandes: não corremos o risco de ficar como uma “barata tonta”, sem saber o que ver, ou, erroneamente tentar ver “tudo” ou o máximo que podemos.

Por aqui não temos museus enormes como o Louvre, por exemplo, com seus quatorze quilômetros de extensão, Mas há várias galerias e museus pequenos em Roma, que valem mais do que a visita a um grande museu. A vantagem: sendo menores, nos dão a possibilidade de ver todo o acervo sem aquele cansaço físico e mental, afinal, sabemos que nosso cérebro não se concentra por mais 45 minutos. Além, claro, de evitar aquelas filas intermináveis para quem não pode se organizar em tempo e comprar uma entrada reservada com dia e horário marcados.

Conheça cinco museus romanos de pequeno e médio porte para você deslumbar-se com o melhor da arte italiana: Galleria Borghese, Galleria Doria Pamphili, Palazzo Venezia, Villa Farnesina e Palazzo Corsini.


O melhor dentre os museus pequenos em Roma: a Galleria Borghese

A Galleria Borghese se encontra dentro da homônima vila, que outrora pertencera à família Borghese. Essa família rica e poderosa, que além ter tido cardeais e papas na sua linhagem, tornou-se parte da árvore genealógica dos Bonapartes, quando Camillo Borghese casou-se com Paolina Bonaparte, irmã de Napoleão.

Em 1902, o Estado Italiano comprou o imóvel e o acervo artístico que pertencia ao fundo privado dos Borghese, criando assim a Galleria que, apesar de pequena, conta com uma quantidade de obras de arte de valor inestimável.  Lá encontramos esculturas e pinturas de artistas como Bernini, Caravaggio, Rafael Sanzio, Pieter Paul Rubens, Tiziano e Antonio Canova.

As esculturas que mais impressionam pela perfeição e deixam todos boquiabertos são as obras de Bernini e Canova. Em especial aquelas que retratam os mitos de Apolo e Dafne e o Rapto de Perséfone. Ver a delicadeza da coxa de Persefone que se contrae ao toque dos dedos viris de Plutão é de uma beleza única. E por mais que vejamos fotos e leiamos a respeito, nada se compara a admirá-la bem de pertinho. Canova retratou a “escandalosa e volúvel” Paolina Bonaparte Borghese encarnando a Vênus Vencedora.

museus romanos, galleria borghese
Paolina Bonaparte Borghese, por Antonio Canova.

Endereço e informações úteis: Piazzale del Museo Borghese, 5 – Tel.: 06/8413979 – Acesso exclusivamente com reserva antecipada. Nota: Geralmente é impossível conseguir ingressos para o mesmo dia ou até para a mesma semana. – Aberta de 3af a dom, das 9 às 19h e as entradas são vendidas em lotes de 2 horas: 9-11h., 11-13h., 13-15h., 15-17h., 17-19h. – Preço: 11 euros – Site: http://galleriaborghese.beniculturali.it/


Uma das maiores coleções privadas de arte do mundo: a Galleria Doria Pamphilj

Quem passa pelo prédio com mármore acinzentado e escuro na Via del Corso, não imagina que ali dentro encontra-se um dos mais majestosos palácios nobres de Roma, ainda pertencente aos príncipes Pamphili. Começamos a ver um pouco da sua beleza ao entrar no prédio e dar de cara com o pátio interno adornado com plantas, o que nos faz lembrar a função de muitos claustros e jardins eclesiásticos: hortas e pomares para a alimentação dos próprios conventos,  ou com o excedente são produzidas pequenas delícias vendidas ao público.

Os Pamphili eram outra rica e poderosa família romana, que também teve cardeais e papas nas suas linhagens, e muitos casamentos com outras riquíssimas e potentes famílias italianas e do restante da Europa. Também eram proprietários do Palazzo Doria Pamphili, na Piazza Navona, hoje sede da embaixada do Brasil.

Na Galleria Pamphilj encontra-se exposta uma grande coleção de arte privada e há muitas salas majestosas, dentre elas, a sala dos espelhos, que lembra aquela do Palácio de Versailles, na França. Para os amantes da arte é possível admirar quadros e obras de Caravaggio, Bernini, Lorenzo Lotto, Pieter Brugel, Annibale Carracci, Tiziano, Vasari e Velásquez, só para citar alguns nomes.

Endereço e informações úteis: Via del Corso 305 – Tel.: 06/6797323 – Aberta todos os dias das 9h às 19h. – Preço: 11 euros – Site: http://www.dopart.it/roma/it/


Palazzo Venezia

De frente para a praça encontra-se o Palazzo Venezia que no séc XVI era a residência do Papa Júlio II, sucessivamente foi sede de representações diplomáticas, até 1929, quando Benito Mussolini o escolheu como sede do seu governo. Da sacada central, o ditador proferia seus discursos às massas fascistas. Essa é a principal recordação histórica que os romanos tem desse edifício, que hoje hospeda um importante museu: o Museo Nazionale di Palazzo Venezia.

Fachada do Palazzo Venezia na homônima praça.

Seu acervo é um pouco “eclético” pois possui desde quadros e porcelanas, a coleções de armas e até uma armadura medieval.

Entre as suas obras-primas encontram algumas pequenas esculturas de Bernini e Alessandro Algardi, e quadros dos artistas Guercino e Giorgione.

Pequena escultura de anjo de Bernini. Bem diferente das grandes esculturas que estamos acostumados a ver, principalmente aquelas da Ponte Sant’Angelo (Castel Sant’Angelo)

Endereço e informações úteis: Via del Plebiscito 118 – Tel.: 06/69994388 – Aberto de 3af a dom. das 8:30h às 19:30h. – Preço: 5 euros – Site: www.museopalazzovenezia.beniculturali.it


Villa Farnesina

Outras ricas famílias e seus palácios nobres espalhados por Roma e arredores: primeiros os Chigi, successivamente os Farnese. A Villa Farnesina, com suas obras de arte, com seus aposentos majestosos e com seus jardins desenhados, também lembra a riqueza do Palácio de Versailles. Localizada no Trastevere e considerada por muitos a mais bela vila renascentista da Cidade Eterna, foi projetada e adornada pelos melhores artistas italianos da época. O projeto foi obra de Baldassare Peruzzi, que além de arquiteto também era pintor (assim como outros grandes homens renascentistas como, por exemplo).

 

Os adornos foram obra de grandes artistas, mas o que hoje em dia atrai o público à Villa Farnesina, é poder admirar os afrescos de Rafael Sanzio no ambiente que se chama a Galeria de Psiché. Ali, em uma série de afrescos, é ilustrada a história de amor mitológica entre Eros e Psiché.

Raffael,_Loggia_di_Psiche,_Villa_Farnesina,_Rome_05
Afresco da Galleria de Eros e Psiché.

Endereço e informações úteis: Via della Lungara 230 – Tel.: 06/68027268 – Aberta de 2af a sab. das 9 às 14h. e todos os segundos domingos do mês das 9h às 17h. – Preço: 6 euros com adicional de 2 euros para visitar os jardins. Desconto para quem apresentar bilhete de entrada dos Museus Vaticanos – Site: http://www.villafarnesina.it/


Palazzo Corsini

A Coleção privada de quadros da família Corsini é uma das poucas que permaneceu intacta do séc XVII até os dias atuais. Também localizado no Trastevere e ao lado da Villa Farnesina, o Palazzo Corsini foi vendido em 1883 ao Reino da Itália, com a promessa, que todos os quadros e esculturas em bronze e mármore fossem expostos ao público. Nasce, assim, a Galeria Nacional de Arte Antiga no Palazzo Corsini.

Fachada do Palazzo Corsini.

Seus ambientes também são ricamente adornados, e um dos mais ricos é o apartamento da Rainha Cristina da Suécia, que decidiu abandonar seu país protestante por ter abraçado a fé católicam e morou aqui até a sua morte em 1689. Os tetos dos aposentos da rainha são ricamente decorados com afrescos. Quanto ao acervo do museu, conta com quadros de artistas como Caravaggio, Andrea Del Sarto, Beato Angelico e Pieter Paul Rubens.

Quarto da Rainha Cristina da Suécia, como teto decorado com afrescos.

Endereço e informações úteis: Via della Lungara 10 – Tel.: 06/68802323 – Fecha às 3as f., em todos os outros dias, aberto das 8:30 às 19:30h. – Preço: 5 euros – Site: http://galleriacorsini.beniculturali.it/

Crédito das Fotos: Wikimedia Commons


Veja a seguir serviços essenciais para a sua viagem


  • Seguro Viagem obrigatório para Itália e Europa em geral
A Itália faz parte dos países europeus que exigem seguro de viagem com apólice mínima de € 30.000. Faça o seu com a Real Seguros. FAÇA COTAÇÃO AGORA E GANHE 10% DE DESCONTO
  • Procurando hospedagem em hotel ou apartamento?
Reserve hotéis e apartamentos em qualquer cidade do mundo. Site em português e cotação em Reais. BUSCAR HOTEL
  • Ingressos Fura-Fila para o Coliseu
Se você não quiser perder preciosas horas da sua viagem em filas, reserve aqui o bilhete para o Coliseu, Fórum Romano e Palatino. COMPRAR INGRESSO COLISEU
  • Evite as filas quilométricas dos Museus do Vaticano
Quer evitar filas que dobram o quarteirão? Então a melhor coisa a fazer para ver a Capela Sistina, é comprar seu ingresso antecipado. COMPRAR INGRESSO VATICANO

Conteúdo Semelhante

5 thoughts on “Cinco museus pequenos em Roma que valem a pena

  1. Muito legal o post, Luciana.
    Mas só é possível fazer a reserva para a Galeria Borghese por tel ou tb pela internet? Se for por tel, o atendimento é só em italiano?
    E gestantes têm prioridade nas filas das atrações?
    Obrigada!
    Daliane

    1. Não existe alguma placa indicando prioridade para gestantes. Entao vc tem que ir ao inicio da fila e pedir para entrar. Eu fiz isso em alguns museus qdo estava grávida e nao tive problemas. Abs, Luciana

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Top