Início História Mapa da Europa: a Evolução da Cartografia Europeia

Mapa da Europa: a Evolução da Cartografia Europeia

Publicado em:

Estudar o Mapa da Europa, e a sua constante evolução ao longo de milênios, não é uma das tarefas mais fáceis.

Para chegar à conformação que temos hoje, o continente passou por mudanças drásticas e radicais desde o início da conquista romana.

Afinal, foi nessa época que houve a primeira, mas rudimentar (se comparada ao dias atuais) ideia de um único continente.

Hoje, quando se estuda o Mapa Europeu, as referências atuais são o mapa da Europa depois da primeira guerra mundial, depois da segunda guerra mundial, e o dos países da União Europeia.

Leia também:

Recentemente, o mapa da União Europeia teve uma baixa: após 1 de Janeiro de 2021, com o Brexit, o Reino Unido se divorciou do Mercado Comum Europeu.

Tendo o continente europeu passado por tantas transformações, quando estuda-se o mapa da Europa, podemos dividi-lo em algumas subcategorias como: mapa linguístico, mapa dos países da europa ocidental, mapa dos países da europa oriental, por vez ainda cita-se o mapa dos países da europa central, do norte e do sul.

Compreender o Mapa da Europa: os confins do continente europeu

Me lembro nas minhas aulas de geografia, quando meu professor apresentou-nos o conceito de Eurásia. Mas para isso temos que lembrar do conceito de continente.

O que é um continente? O continente é uma massa de terra cercada por água.

Se nos baseássemos nesse conceito puramente geográfico, a Europa não existiria como continente, porque a sua massa de terra é a mesma que forma a Ásia e vice-versa.

Por isso, em geografia cunhou-se o termo Eurásia para determinar a massa única compartilhada pelos dois continentes.

Porém, existem outras diferenças muito maiores que vão além das suas características geográficas, a dizer, os critérios culturais, linguísticos, políticos, religiosos e históricos.

Tabula Militaris Itineraria: mapa da Europa à época do Império Romano

O conceito de Europa não nasceu de um dia para o outro. A Europa começou a ser forjada graças à expansão de Roma à época da República e, mais consistentemente, à época do Império Romano.

A Tabula Militaris Itineraria, também conhecida como Tabula Picta, é o mais antigo mapa de viagem elaborado durante o império romano, mais tardar no séc. 4 d.C.

Foi a primeira vez que foram traçadas as principais estradas do império romano.

Esse mapa antigo foi reproduzido na Idade Média, e é graças a essa cópia que o mapa da europa romana chegou até nós.

Também chamado de Tabula Peutingeriana, ele é constituído por onze folhas de pergaminho, as quais somam 6,80m de altura e 35m de comprimento.

Atualmente o documento faz parte do acervo da Biblioteca Nacional da Áustria.

Esse mapa faz parte da Lista das Memórias do Mundo Unesco.

Leia também:

Queda do Império Romano e Mapa da Europa na Idade Média

Após a queda do império romano do ocidente, o poder se deslocou do mediterrâneo (nesse caso Roma) para a Europa centro-setentrional.

Com o fim do poder centralizador de Roma, o continente europeu testemunhou a fragmentação política e o surgir de vários reinos locais.

Graças ao cristianismo, muitos mapas europeus representavam a terra e também o paraíso celeste.

Ainda não existia o cartógrafo profissional, e como a educação passava pelos mosteiros e conventos, os redatores de mapas da europa na idade média eram os religiosos: monges, os quais, na sua maioria, criavam mapas que incluíam novos conceitos religiosos.

++ Leia Mais | Google Tradutor: para viajar e comunicar sem perrengues

Um exemplo, eram os mapas mundi que consideravam Jerusalém como o centro do mundo, porque lá tinha nascido Cristo, ou ainda que representavam somente ou quase exclusivamente a terra e não a água, visto que os seres humanos viviam na terra.

Outra curiosidade é que muitos dos mapas europeus da Idade Média também representatam o mar como um lugar habitado por monstros marinhos.

Por volta do ano 1000 já teremos a formação das monarquias nacionais e, consequentemente, dos estados nacionais, o que transformará progressivamente a cartografia europea.

Um mapa do séc. 16, pintado no Palazzo Farnese (cidade de Caprarola)

Mas será defininitivamente com as grandes navegações, a descoberta de novos continentes, e uso de instrumentos como a bússola e o astrolábio, que os mapas ganharão veracidade a partir do século 15.

Leia Mais:

Mapa da Europa a partir do século 20 entre as duas guerras

Enquanto ao final da Idade Média e início da Idade Moderna, a Europa ainda passava por algumas transformações territoriais, uma outra grande mudança ocorrerá nos dois conflitos que iniciarão na Europa, mas que envolverão o mundo todo: a primeira e a segunda guerra mundial.

Mapa da Europa antes e depois da primeira guerra mundial

Os dois mapas ilustram a Europa antes e depois da primeira guerra mundial. No início do século 20, grande parte do continente europeu era caracterizado com uma “herança” (pelo menos terminológica”) do império romano.

A parte central e a parte oriental do continente europeu eram divididas em enormes fatias chamadas impérios: o império germânico, o império austro-húngaro, o império russo, o império otomano.

Mapa da Europa antes da primeira guerra mundial. Crédito: Instituto Italiano Edizioni Atlas

Com o final da primeira guerra mundial, o enorme império húngaro cessou de existir, e seu vasto território foi fragmentado em inúmeros estados, alguns dos quais criados ex novo (ex.: Iugoslávia, Tchecoslováquia).

O mesmo aconteceu com o já decadente império otomano. Com o seu fim, nasceu a República Turca.

Alguns territórios do oriente médio que antes pertenciam ao império otomano, passaram a fazer parte do domínio da França e Inglaterra.

Mapa da Europa depois da primeira guerra mundial. Crédito: Instituto Italiano Edizioni Atlas

Por fim, o império germânico perdeu parte do seu território para os países vizinhos, enquanto nos territórios que foram cedidos ao império russo, nasceram novos estados (as repúblicas bálticas, a Polônia e a Finlândia).

Mapa da Europa depois da segunda guerra mundial

Nos anos de conflito, que duraram de 1939 a 1945, o mapa da Europa passou por uma constante mudança de acordo com as alianças políticas, invasões da SS e ocupação de territórios, até a contra-ofensiva das forças aliadas e, finalmente, o fim da guerra com o bombardeamento do Japão.

Portanto, seria necessário nesse período de seis anos, analisar a evolução do mapa europeu. O que temos acima é o mapa da Europa ao final do conflito.

Já a partir de 1943, quando o panorama político mostrava uma provável vitória contra as forças de Hitler, iniciaram-se uma série de conferências e acordos entre as maiores potenciais ocidentais e a URSS, a respeito de qual seria o novo asset mundial.

++ Leia Mais | Dai a César o que é de César: Impostos no Império Romano

Entre o final de novembro e o início de dezembro de 1943, Churchill, Roosevelt e Stalin se reuniram em Teeran.

Sucessivamente houve uma nova conferência na Crimeia (Fevereiro de 1945), outra em Potsdam (Julho e Agosto de 1945) com a presença no novo presidente dos EUA, Truman.

Ao final dos acordos, além da conclusão catastrófica que o mundo havia perdido 50 milhões de pessoas no conflito, nasceram duas grandes potências mundiais: de um lado os EUA e do outro lado a Rússia.

Apesar da vitória, da participação nas negociações e do Império Britânico, a Inglaterra fica politicamente para escanteio nessa divisão de poder entre EUA e URSS.

Com o final da segunda guerra mundial, surgiu em 26 de junho de 1945 a ONU, Organização das Nações Unidas.

Mapa da Europa Atual

Para falar no Mapa da Europa atual, é necessário compreender dois conceitos: a Europa física e a Europa política.

O mapa físico da Europa engloba todos os países que fazem parte do continente europeu, de Portugal até os confins da Rússia.

Já o mapa político da Europa lida com a União Europeia e também com a possível (mas por hora improvável) entrada da Turquia na UE.

++ Leia Mais | As Sete Colinas de Roma: tradição e história

Em 1957, para contrastar o poder das duas grandes potências mundiais, ou seja, EUA e Rússia, seis países europeus se reuniram em Roma e assinaram um acordo que à época criou o MCE (Mercado Comum Europeu).

O Tratado foi assinado dentro de um dos salões nobre do Palazzo dei Conservatori (complexo dos Museus Capitolinos), em Roma, e os países signatários eram: França, Alemanha, Itália, Holanda, Bélgica e Luxemburgo.

Em 1991, o Tratado de Roma foi substituído pelo Tratado de Maastricht, que o reafirmou e ampliou.

Com um referendo (Brexit) realizado em 2016 e após quatro anos de negociações, o Reino Unido saiu da União Europeia em 1 de janeiro de 2021.

Portanto, a partir de 1 de janeiro de 2021 os países da UE são: Itália, Áustria, Bélgica, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, Alemanha, Chipre, Grécia, Hungria, Islândia, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Holanda, Polônia, Portugal, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Irlanda e Bulgária.

Desses países, alguns não aderiram ao Euro como moeda comum: Bulgária, Croácia, República Tcheca, Hungria, Polônia, Romênia e Suécia.

Mapa da Europa Ocidental

Europa Ocidental é um conceito sócio-político que nasceu após a segunda guerra mundial.

Indicava os países liberados pela aliança ocidental (EUA, Inglaterra e Canadá), Itália e República Federal Alemã (parte da Alemanha sob ocupação inglesa, francesa e estadunidense).

Após o desmembramento da URSS, queda da cortina de ferro e toda a transformação que passou o fim de muitos regimes comunistas, o termo Europa Ocidental, ganhou uma nova acepção: países mais ricos da Europa (ou países europeus de primeiro mundo).

O mapa da Europa Ocidental inclui:

Reino Unido, Irlanda, Bélgica, Luxemburgo, Holanda, França, Mônaco, Alemanha, Grécia, Chipre, Suíca, Liechtenstein, Áustria, Itália, Espanha, Portugal, Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia. Além disso, o território do Vaticano e o principado de Mônaco.

Mapa da Europa Oriental

Obviamente, o conceito de Europa Oriental também nasceu após a segunda guerra mundial.

Englobava tudo o que na época era considerado o “bloco comunista” e que estava sob domínio da URSS.

O mapa da Europa Oriental inclui:

Albânia, Armênia, Azerbaijão, Bielorrússia, Bósnia-Herzegovina, Bulgária, República Tcheca, Croácia, Geórgia, Casaquistão, Hungria, Macedônia, Moldávia, Montenegro, Polônia, Romênia, Rússia, Sérbia, Eslováquia, Eslováquia, Ucraina.

Consideremos que alguns Estados não existem mais: Tchecoslováquia, Alemanha Oriental e União Soviética.

Mapa da Europa Atual com países e capitais

No mapa dos países da Europa atual, com suas capitais, estão incluídos em dois conceitos de Europa: político e geográfico.

  1. Portugal: Lisboa
  2. Noruega: Oslo
  3. Espanha: Madri
  4. Suécia: Estocolmo
  5. França: Paris
  6. Finlândia: Helsinque
  7. Irlanda: Dublin
  8. Bielorússia: Minsk
  9. Ucraina: Kiev
  10. Bélgica: Bruxelas
  11. Moldávia: Kishinev
  12. Holanda: Amsterdam
  13. Romênia: Bucareste
  14. Luxemburgo: Luxemburgo
  15. Bulgária: Sofia
  16. Alemanha: Berlim
  17. Suíça: Berna
  18. Cipre: Nicosia
  19. Itália: Roma
  20. Grécia: Atenas
  21. Áustria: Viena
  22. Macedônia: Skopje
  23. República Tcheca: Praga
  24. Albânia: Tirana
  25. Eslováquia: Bratislava
  26. Sérbia: Belgrado
  27. Polônia: Varsávia
  28. Montenegro: Podgorica
  29. Lituânia: Vilnius
  30. Bósnia-Herzegovina: Sarajevo
  31. Letônia: Riga
  32. Croácia: Zagreb
  33. Estônia: Tallinn
  34. Eslovênia: Lubliana
  35. Rússia: Moscou
  36. Hungria: Budapeste
  37. Dinamarca: Copenhagen
  38. Islândia: Rejkjavik
  39. Turquia: Ankara (faz parte do Conselho da Europa desde 1949, mas não faz parte da União Europeia)
  40. Armênia: Erevan
  41. Geórgia: Tiblissi
  42. Azerbaijão: Baku
  43. Casaquistão: Nursultan
  44. Liechtenstein: Vaduz
  45. Malta: Valeta
  46. Mônaco: Mônaco
  47. República de São Marino: São Marino
  48. Andorra: Andorra
  49. Vaticano: Vaticano (por ser um Estado Teocrático, não possui representação diplomática na ONU)

Mais dicas de viagem, história e cultura:

Luciana Rodrigues
Guia brasileira em Roma e Vaticano. Moradora de Roma há mais de 21 anos. Idealizadora e produtora de conteúdo do Roma Pra Você, para quem quer organizar a sua viagem a Roma em plena autonomia. Seja bem-vindo(a) e prazer em conhecê-lo(a)!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Dicas Mais Procuradas

- Advertisement -
error: