Início Dicas de Roma Desvendando o Bairro Quirinale em Roma

Desvendando o Bairro Quirinale em Roma

Publicado em:

O Quirinale é uma das sete colinas sobre as quais Roma foi fundada, só para vocês terem ideia de quanto essa área é antiga.

Dado que ali também está localizado o Palácio do Quirinale, residência oficial do presidente da república italiana, quando se fala em Quirinale, a palavra quase sempre tem uma conotação política, de lugar do poder.

O Quirinale também é um dos menores bairros do centro de Roma. Muitos passam por lá por acaso e ficam maravilhados pelas esculturas mais famosas do local: as Quatro Fontes (Le Quattro Fontane).

Leia também:

Mas no minúsculo bairro que fica “escondido” entre a Via Nazionale, Piazza della Repubblica, Fonte do Tritão e Fontana di Trevi, há tesouros inestimáveis da arte italiana.

O bairro se resume basicamente às ruas Via Venti Settembre que continua na Via del Quirinale e às ruas transversais.

Não perca seu precioso tempo em filas enormes!

Ingresso fura-filas para o Coliseu

Ingresso fura-filas para a Capela Sistina

Roteiro pelo Quirinale + Mapa das Atrações

A Fonte do Moisés

O primeiro monumento a ser contemplado no Quirinale é a Fontana del Mosé (Fonte do Moisés) também conhecida como Fontana dell’Acqua Felice, que marcava o final do acqueduto Acqua Felix.

Ele não é um dos antigos aquedutos romanos, mas foi inaugurado em 1586 por ordem do Papa Sisto V, cujo nome de batismo era Felice. Esse foi o primeiro aqueduto da “era moderna” de Roma. Todos os demais haviam sido construídos na Roma antiga.

quirinale-roma-11

Nele vemos a figura de Moisés e quatro leões de cujas bocas jorra água.

Caminhando pela Via Venti Settembre você vai cruzar com algumas igrejas protestantes e quartéis militares, como o do Reggimento Corazzieri, que é a guarda de honra do Presidente da República.

As Quatro Fontes

Em um dos cruzamentos mais movimentados de Roma e perto da Fonte do Tritão (Fontana del Tritone), encontram-se as 4 fontes renascentistas que dão nome à rua na qual se encontram: a Via delle Quattro Fontane.

As fontes também batizaram a igreja que fica quase de frente para elas: a Igreja de San Carlo alle Quattro Fontane, considerada uma das obras-primas do barroco italiano e projetada por Borromini, o “eterno rival” de Bernini.

Leia também:

As quatro esculturas são do séc XVI e seu autor é desconhecido. Elas foram construídas porque era necessário trazer água de um dos aquedutos romanos para abastecer a população dos bairros Quirinale e Viminale. Por que não aproveitar a ocasião e construir fontes ornamentais?

As quatro fontes são divididas em duas figuras femininas de deusas e duas figuras alegóricas masculinas:

As deusas Diana e Juno representam força e fidelidade.

As duas figuras alegóricas masculinas representam o rio Tibre e o rio Arno, de Florença. Ao invés, algumas fontes citam que, a outra estátua represente o rio Aniene, o segundo maior rio de Roma, que desagua no rio Tibre.

O curioso é que apesar de bem famosas, muitas pessoas as descobrem por acaso. Existem fontes maravilhosas em Roma, mas, claro, quem está poucos dias na cidade acaba optando por aquelas mais famosas, como a Fontana di Trevi.

As vilas e jardins públicos

Continuando a caminhada pela Via delle Quattro Fontane, na mesma calçada da Igreja de San Carlo, encontram-se duas “vilas” ou jardins públicos bem verdes e relaxantes: Giardino di Sant’Andrea al Quirinale e Villa Carlo Alberto al Quirinale.

quirinale-roma-16

Para quem viaja com crianças, ou simplesmente quer repousar um pouco as pernas, nos dois parques há vários banquinhos e nos dias ensolarados o ambiente é ótimo para passar alguns momentos de tranquilidade.

A Galleria Nazionale d’Arte Antica no Palazzo Barberini

quirinale-roma-5

Descendo pela Via delle Quattro Fontane em direção à Fontana del Tritone (também de Bernini), é possível visitar mais um dos grandes museus de Roma: A Galeria Nacional de Arte Antiga no Palazzo Barberini. Existe outra sede da galeria no Trastevere, no Palazzo Corsini.
Prepare seus olhos e coração para admirar Caravaggio, Guercino, El Greco, Lorenzo Lotto, Rafael, Tiziano e Tintoretto entre outros.

A Piazza del Quirinale, sua fonte e obelisco antigos

Alguns metros mais adiante chegamos em frente à majestosa Praça do Quirinale, de onde podemos ver a cúpula da Basílica de São Pedro, no Vaticano.

quirinale-roma-6

No centro da Praça, A Fontana dei Dioscuri (Fonte dos Dióscuros) que estava nas Termas de Constantino, do ano 315 d.C. e que se localizavam justamente no bairro do Quirinale. As duas figuras masculinas são os dióscuros, ou seja, os gêmeos Castor e Pollux.

quirinale-roma

Já o obelisco egípcio pertencia ao Mausoléu de Augusto, hoje uma ruína aguardando restauração, localizado na Piazza Augusto, bem ao lado da Ara Pacis de Augusto. O mausoléu começou a ser construído em 28 a.C. e foi inaugurado no séc. 1 a.C., então vocês podem imaginar que o obelisco é bem antigo mesmo!

quirinale-roma-3

quirinale-roma-10

O Palazzo del Quirinale

Desde 2015 o Palazzo del Quirinale pode ser sempre visitado pelo público. Antigamente ele era visitado somente em datas especiais, depois passou a ser aberto aos domingos, e agora ele pode ser contemplado, mas é necessário reservar a visita on-line com pelo menos cinco dias de antecedência. Mas você pode fazer uma visita virtual, comodamente da sua casa, clicando aqui.

quirinale-roma-7

O Palácio do Quirinal tem uma história bem interessante: quando as tropas francesas ocuparam Roma, Napoleão Bonaparte pensou em transformar o palácio em uma espécie de Versailles.

Mas a verdade é que o imperador nunca chegou a residir no local e, entre residência papal e residência real, em 1870 o prédio passou às mãos da família real Savoia, e com a proclamação da república desde 1946 o palácio é de propriedade do Estado Italiano.

Berlina-Egiziana
Crédito: www.turismoroma.it

Não é possível tirar fotos durante as visitas, mas aconselho não perder a oportunidade de visitar a sala das carruagens reais. Vocês ficarão boquiabertos com tanta beleza.

Scuderie del Quirinale

Do outro lado da praça, encontram-se as Estrebarias do Quirinal. Antiga estrebaria pertencente ao palácio do Quirinal, hoje é dia é um dos museus que hospedam as melhores mostras internacionais que chegam à capital italiana.

Mas não é só isso: da parede de vidro do museu, entre o segundo e terceiro andares (só dá para vê-la na descida) temos uma das vistas panorâmicas mais deslumbrantes de Roma.

quirinale-roma-8

Ao chegar aqui nesse ponto, em direção ao final da Via del Quirinale, começa o pitoresco e badalado bairro Monti, na foto abaixo, ali onde vemos aquela torre medieval.

quirinale-roma-9

As Igrejas do Quirinale, obras de Borromoni e Bernini

Dois tesouros do Quirinale são as igrejas barrocas de San Carlo alle Quattro Fontane, popularmente chamada de San Carlino, e Sant’Andrea al Quirinale. A primeira foi construída por mãos de Francesco Borromini, e a segunda foi obra de Gianlorenzo Bernini.

San Carlo alle Quattro Fontane e as linhas simples de Borromini

Ali bem colada nas quatro fontes no cruzamento da Via delle Quattro Fontane con Via del Quirinale, que depois se transforma em Via Venti Settembre (ou vice-versa) se encontra uma das igrejas considerada obra-prima do barroco italiano.

igrejas-do-quirinale

Mas olhando para a sua fachada de mármore escurecida e suja, a gente realmente não dá nada por ela!

O prédio foi construído no século XIV e, justamente a causa dos tamanho minúsculo, inclusive da sua cúpula, foi apelida de San Carlino (algo tipo São Carlinho).

san-carlino-al-quirinale

Borromini começou a construir primeiro o pátio que liga a igreja ao convento dos padres trinitários. Três anos depois (1638) começou a construção do prédio da igreja.

O projeto foi um grande desafio por vários motivos: o primeiro deles era financeiro. Os padres trinitários não era uma ordem religiosa particularmente rica, e apesar de terem recebido uma ajuda financeira do cardeal Francesco Barberini (cujo palácio de família está a poucos metros da igreja), que por sua vez era sobrinho do papa Urbano VIII (só para vocês entenderem o poder dos mecenas!), parece que a quantidade de dinheiro não era suficiente para uma obra magnífica.

igrejas-de-roma-5

Outra questão era o espaço bem pequeno, uma vez que já existia um convento, e o arquiteto tinha que “se virar” para fazer uma obra majestosa com pouco espaço.

igrejas-de roma

O grande gênio de Borromini venceu o desafio, concentrando principalmente a beleza da igreja na sua cúpula completamente branca, reluzente e em forma de alvéolos. A alvura faz um grande contraste com o restante da igreja e causa um enorme impacto visual, apesar da simplicidade do material usado (nada de mármore, ou ouro… simplesmente cimento pintado de branco, uma das marcas de Borromini).

igrejas-de-roma-4

Por sua vez, o claustro dos monges possui uma forma octogonal com lójias ou pórticos de forma reduzida, mas com linhas muito delicadas. Essa delicadeza e os raios de luz que penetram diagonalmente no claustro, dão uma enorme sensação de paz e intimidade ao local.

Sant’Andrea al Quirinale e a majestosidade de Bernini

Mais de 20 anos após Borromini ter projetado e construído a igreja de San Carlino, alguns metros mais para lá, Bernini projetou e construiu a igreja de Sant’Andrea al Quirinale, de 1658 a 1678, sede nos frades noviços da Companhia de Jesus.

sant-andrea-al-quirinale

A igreja de Sant’Andrea é mais um dos ícones do barroco italiano.

Enquanto Borromini usou uma estrutura oval para lidar com a falta de espaço de San Carlino, Bernini resolveu o mesmo problema criando uma igreja redonda, e “apostando tudo” na riqueza da sua cúpula, que é realmente linda.

igrejas-de-roma-6

Acho interessante visitar as duas igrejas para compreender que, além de rivais, ambos arquitetos tinham estilos e concepção do uso dos materiais completamente diferentes.

Como uma fachada externa simples, e dimensão bem reduzida no interior, assim que a gente entra na igreja damos de cara com o seu altar, com colunas de mármore rosado, com ao fundo enormes figuras de ouro bem cenográficas e dramáticas.

igrejas-de-roma-8

Depois do altar, o que imediatamente captura a nossa atenção é a majestosa cúpula toda em ouro, com vários anjos em puro mármore branco, o que forma um contraste cromático mais do que interessante.

As igrejas são duas pequenas joias a serem visitadas durante um passeio por Roma.

igrejas-de-roma-10

igrejas-de-roma-13

Informações úteis:

Chiesa di San Carlo alle Quattro Fontane

Via del Quirinale 23

Segunda a Sábado das 10 às 13h.

Domingo de 12 às 13h e missa às 11 (durante a missa não é possível tirar fotos e nem visitar o claustro).

Site: http://www.sancarlino.eu/index1.asp

Chiesa di Sant’Andrea al Quirinale

Via del Quirinale 30

Fechada às 2as. feiras

De terça a Sábado das 8:30 às 12 e das 14:30 às 18h.

Domingos e Feriados: 9 às 12 e das 15 às 18h

Agosto (por experiência própria): não abre!

Missas aos domingos às 10:30h

Site: http://santandrea.gesuiti.it/

Para a Fontana di Trevi… é só um pulinho

Daqui para a Fontana di Trevi, ó, é só um pulinho! Descendo a ladeira por trás da Piazza del Quirinale, em cinco minutinhos chega-se até a fonte barroca mais bonita de Roma.

Mais dicas de Roma para a sua viagem:

Veja a seguir serviços essenciais para a sua viagem

  • Seguro Viagem obrigatório para Itália e Europa em geral
A Itália faz parte dos países europeus que exige seguro de viagem com apólice mínima de € 30.000. Faça o seu Real Seguros.
  • Procurando hospedagem em hotel ou apartamento?
Reserve hotéis e apartamentos em qualquer cidade do mundo. Site em português e cotação em reais.
Luciana Rodrigues
Guia brasileira em Roma e Vaticano. Moradora de Roma há mais de 21 anos. Idealizadora e produtora de conteúdo do Roma Pra Você, para quem quer organizar a sua viagem a Roma em plena autonomia. Seja bem-vindo(a) e prazer em conhecê-lo(a)!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Dicas Mais Procuradas

- Advertisement -
error: