Início História História do Coliseu: Fatos e Curiosidades do Famoso Monumento

História do Coliseu: Fatos e Curiosidades do Famoso Monumento

Publicado em:

Não há alguma margem de dúvidas que o Coliseu seja o símbolo mais emblemático de Roma.

Ele foi construído para comemorar e afirmar a grandiosidade do Império Romano e da sua capital, Roma, um marco para a história do mundo antigo.

Passaram-se quase 2 milênios desde a sua inauguração, que aconteceu em 80 d.C., e mesmo que hoje em dia ele esteja grande parte em ruínas, ainda assim é muito fascinante poder visitar e contemplá-lo.

Leia também:

As palavras do monge conhecido como “venerável Beda” ilustram o quanto o Coliseu sempre foi importante para Roma: Enquanto o Coliseu existir, Roma também existirá; quando o Coliseu cair, Roma também cairá; quando Roma cair, o mundo cairá.

Beda viveu entre os sécs. 7 e 8 d.C. e sua profecia nos mostra como na alta idade média e a pouco mais de dois séculos da queda do império romano, o Coliseu ainda estava no centro das atenções na Roma Antiga.

História do Coliseu: por que, quando e como ele foi construído?

A história do Coliseu está ligada ao período de decadência e frustração que aconteceu após o incêndio de Roma, os excessos e a morte do imperador Nero. Quando Nero morreu, em pouco menos de 2 anos passaram 4 imperadores pelo trono: Galba, Vitélio, Oto e finalmente Vespasiano.

Luta no Coliseu, cena do filme O Gladiador.

Portanto, a campanha política do imperador Vespasiano tinha como objetivo a realização de grandes obras públicas e de uma política de bem-estar voltada para o público. Utilizou então a área onde ficavam os jardins da casa de Nero, a Domus Áurea, e ali iniciou a construção do Coliseu, provavelmente entre 70-72 d.C.

A construção do Coliseu levou cerca de 1 década. Quando foi inaugurado em 80 d.C., Vespasiano já havia falecido e o novo imperador era seu filho primogênito Tito. Nos seus planos estavam uma inauguração monumental.

Foi assim que o então novo imperador inaugurou o Coliseu com 100 dias de jogos de modo que o anfiteatro fosse considerada a arena mais famosa para lutas de animais e gladiadores. Seu nome oficial era Anfiteatro Flávio, uma vez que Flávio era o sobrenome dos imperadores dessa dinastia, chamada dinastia Flávia ou Flaviana, a dizer: Vespasiano, Tito e Domiciano.

Estima-se que durante os 100 dias de celebração, tenham morrido cerca de 2.000 gladiadores e 5.000 animais.

Durante os seus cerca de 4 séculos e meio de uso, o Coliseu hospedou lutas de gladiadores, alguns historiadores hipotizam o uso do monumento para batalhas navais, encenação de peças, execução de prisioneiros e caça de animais exóticos. Na arena exibiram-se elefantes, leões, tigres, crocodilos, rinocerontes e girafas, só para citar alguns exemplos.

Abandono e decadência: o Coliseu após a queda do Império Romano

coliseu

No séc 6 d.C. vários fatores concorreram para o fim dos espetáculos: queda do império romano, falta de capital (os espetáculos eram demasiadamente caros), o advento do cristianismo. Sabe-se ao certo que os últimos espetáculos ocorreram entre os anos 519-520, já sem a participação de gladiadores e somente uma caça entre animais.

Ademais, com a grande crise causada com a queda do império romano, o início da idade média em Roma foi marcado por invasões de tribos germânicas, fome, epidemias de malária e peste. Isso fez com que a cidade perdesse grande parte da sua população. No auge do império a cidade tinha pelo menos 1 milão de habitantes, e por volta dos anos 600, ela tinha não mais de 50.000 pessoas (na melhor das hipóteses, mas talvez tivesse até menos).

Nesse período, a condição dos munumentos era deprimente, de total abandono e falta de cuidados. A falta de manutenção e desastres naturais como terremotos e incêndios fizeram com que o Coliseu fosse aos poucos se transformando em uma ruína.

Pouco a pouco ele começou a ser depredado para que seus materiais de construção preciosos fossem reutilizados: sobretudo o ferro, o chumbo e o mármore.

E se não bastasse, suas arcadas foram utilizadas como refúgio, estalas para animais e uma parte foi confiscada por uma importante família medieval (os Frangipane), que o transformou em parte em uma fortaleza.

Essa expoliação continuou pelo menos até o século 16, quando os mármores foram arrancados a mando dos papas, para construírem algumas basílicas de Roma. Inclusive na Basílica de São Pedro há mármore carrara retirado do Coliseu.

O Coliseu nos tempos modernos

hitler roma coliseu
A parada militar da visita de Hitler passa pelo Coliseu (ano 1938) | Foto: Istituto Luce

No século 19 foram feitas importantes obras de contenção, por parte dos arquitetos Rafael Stern e Giuseppe Valadier.

No século 20, durante a segunda guerra mundial, Mussolini mandou iluminar o Coliseu de modo que durante a parada militar e a visita de Hitler a Roma, o monumento, apesar de estar em ruínas, desse toda a ideia de monumentalidade.

Vários filmes famosos e espetáculos aconteceram no Coliseu. Um dos mais emblemáticos foi o show que o ex-Beatle Paul Mc Cartney realizou dentro do monumento em 2013. Na época estiveram presentes somente 400 espectadores e cada um pagou 1.000 euros de ingresso.

Mais dicas de viagem, história e cultura

Veja a seguir serviços essenciais para a sua viagem

  • Seguro Viagem obrigatório para Itália e Europa em geral
A Itália faz parte dos países europeus que exige seguro de viagem com apólice mínima de € 30.000. Faça o seu Real Seguros.
  • Procurando hospedagem em hotel ou apartamento?
Reserve hotéis e apartamentos em qualquer cidade do mundo. Site em português e cotação em reais.
  • AirBnB: aluguel de temporada 
Vai viajar pela Itália e prefere ficar em um apartamento, ao invés de um hotel? Nesse caso, a melhor opção é alugar no airbnb. BUSCAR APARTAMENTOS  
Luciana Rodrigues
Guia brasileira em Roma e Vaticano. Moradora de Roma há mais de 21 anos. Idealizadora e produtora de conteúdo do Roma Pra Você, para quem quer organizar a sua viagem a Roma em plena autonomia. Seja bem-vindo(a) e prazer em conhecê-lo(a)!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Dicas Mais Procuradas

- Advertisement -
error: