A Roma Desaparecida do séc. 19 nas aquarelas de Ettore Roesler Franz

Se pudéssemos olhar para trás, em ordem decrescente, poderíamos afirmar que os dois grandes períodos que resultaram em enormes e radicais transformações arquitetônicas em Roma foram o séc. 20, durante o ventínio fascista de Mussolini, e antes dele, o séc. 19 após a unificação da Itália (1861) e a influência

As esculturas de Arnaldo Pomodoro em Roma

Visitar Roma e arredores, além do Vaticano, é uma ótima oportunidade para poder conhecer (ou aprofundar o conhecimento) do trabalho em um dos mais importantes escultores italianos dos nossos tempos: Arnaldo Pomodoro. Pomodoro nasceu em 1926 e seu irmão Giò Pomodoro (falecido em 2002) também era um escultor. No site da fundação

Roma Barroca e a rivalidade entre Bernini e Borromini

A arquitetura barroca é aquela que se desenvolveu na Europa prevalentemente no séc. XVII, e é caracterizada por linhas curvas, formas sinuosas, elipses, espirais. Muitas vezes tudo junto no mesmo lugar. Por isso, na época em que surgiu foi tão detestado pelos classicistas que, justamente, apelidaram-no de Barroco, porque era

A rota dos mosaicos de Ravenna

Ravenna é muito mais do que mosaicos, mas Ravenna é sobretudo mosaicos. Essa cidade que reúne oito sítios eleitos pela Unesco como patrimônio da Humanidade vai lhe surpreender! No dia em que visitei a cidade, por exemplo, parece que existiam duas turmas: turistas que estavam desembarcando na cidade para ver suas maravilhas

Street Art em um condomínio popular em Tor Marancia

Amo Street Art e para quem vive em Roma, uma “arte viva, jovem e visual” é de grande importância. Por quê? A primeira coisa que vem em mente a quem visita Roma são ruínas, monumentos, arte canônica (Michelangelo, Caravaggio, Rafael, etc.), fontes renascentistas e tudo mais que sabemos que a

Mosaicos cosmatescos: o grande tesouro no chão das igrejas romanas

A maioria dos tesouros artísticos da Itália está dentro das suas igrejas. Algumas delas famosíssimas, como a Basílica de São Pedro que hospeda obras de Michelangelo e Bernini, outras, mais discretas e menos frequentadas pelos turistas e que, geralmente, são apreciadas somente por insiders. Quando entramos nas igrejas italianas para admirar