You are here
Home > Museus Vaticanos > Conheça um pouco sobre a origem dos Museus Vaticanos

Conheça um pouco sobre a origem dos Museus Vaticanos

Se os Museus Vaticanos pertencessem ao Estado Italiano e não ao Estado Vaticano, poderíamos dizer que esse conjunto de museus é o mais visitado pelos turistas que vem à Itália.

O ponto alto da sua visita é a Capela Sistina, mas os Museus Vaticanos possuem muito mais a oferecer.

Contamos um pouco da Origem dos Museus Vaticanos para que vocês saibam como ele tornou-se em seis séculos, um dos mais importantes do mundo.

Os Museus Vaticanos tiveram a sua origem graças ao Papa Júlio II (1503-1513) que criou uma coleção de esculturas exposta onde hoje existe o Cortile Ottagono (Pátio Octagono). Muitos papas pertenciam às famílias nobres romanas e colocaram as coleções privadas de arte à disposição do público. Outros que também originaram-se graças a coleções privadas de famílias nobres foram os Museus Capitolinos

Curiosidade: Papa Júlio II, cujo nome era Giuliano della Rovere, foi quem encomendou o famoso Moisés a Michelangelo para que a escultura viesse a decorar o seu túmulo. Os Della Rovere são uma família nobre romana, mas de origem lígure, e vez por outra são citados em revistas mundanas. Para saber mais sobre o Moisés de Michelangelo leia nosso post: Bem pertinho do Coliseu, o Moisés de Michelangelo para ser admirado.

Com os Papas Clemente XIV (1769-1774) e Pio VII (1775-1799) tiveram origem os Museus e as Galerias Pontifícias, por isso toda a parte que foi montada durante esses dois papados foi chamada de Museu Pio-Clementino.

salas-rafael-heliodoro
Testo de uma das Salas de Rafael: a Sala de Heliodoro

À época do Papa Pio VII (1800-1823) aumentou de modo inigualável as coleções de Antiguidades Clássicas, originando-se, assim o Museu Chiaramonti e o Braccio Nuovo (Braço Novo). Nesse período também deu-se notável atenção às coleções epigráficas, em mostra na Galeria das Lápides.

Papa Gregorio XVI (1831-1846) fundou o Museu Etrusco em 1837, com objetos encontrados nas escavações da Etrúria Meridional (várias cidades da região Lácio nos arredores de Roma, como, por exemplo, Cerveteri, Civitavecchia e Tarquinia) e também o Museu Egípcio em 1839 com objetos e monumentos egípcios de escavações feitas naquele país e peças que já encontravam-se no Vaticano e nos Museus Capitolinos.

Não viaje para a Itália sem um Seguro Viagem

Compare os preços e compre o seu na Seguros Promo, parcelado em até 12 vezes. Digite ROMAPRAVOCE5 e ganhe 5% de desconto.

Papa Pio IX (1846-1878) juntou o Museo Profano Lateranense ao Museu Cristão, que continha esculturas cristãs antigas, principalmente túmulos e epígrafes.

Durante o papado de San Pio X (1903-1914) também foi adicionado um Lapidário Hebraico, ou seja, epígrafes de antigos cemitérios hebraicos de Roma, principalmente aquele localizado na Via Portuense. Inicialmente o Museu Profano Lateranense, o Museu Cristiano e o Lapidário Hebraico encontravam-se na Basílica de São João em Latrão, mas durante o papado de João XXIII (1958-1963) foram transferidos para o Vaticano e reabertos à visitação pública em 1970.

Também fazem parte dos Museus Vaticanos:

A Galleria degli Arazzi (Galeria dos Tapetes) com uma coleção de tapetes dos séc XVI e XVII, a Galleria delle Carte Geografiche (Galeria dos Mapas), as Salas Sobieski e da Imaculada Conceição, os aposentos e as Salas de Rafael decorados durante os papados de Júlio II e Leão X (1513-1521), a Capela do Beato Angelico, pintada durante o papado de Nicolò V (1447-1455), a Capela Sistina batizada com o nome do seu fundador, Papa Sisto IV (1471-1484); o Apartamento Borja, onde morou Papa Alessandro VI Borja 1492-1503), a Pinacoteca Vaticana, da época do pontificado de Pio XI (1922-1932), o Museu Missionario Etnológico, fundado por Papa Pio XI em 1926. Esse museu também foi transportado do Palácio Lateranense (Basílica de São João em Latrão) para o Vaticano.

Nos anos 70, também foram adicionadas a Coleção de Arte Religiosa Moderna e Contemporânea, durante o papado de Paulo VI (1963-1978) e inaugurado o Museu Histórico.

Organizar a sua visita aos Museus Vaticanos

galeria-dos-mapas
Galeria dos Mapas vazia, durante a visita noturna

Deu para perceber que, tendo tempo e disposição, podem ser feitas várias visitas aos Museus Vaticanos. No site oficial do Vaticano encontram-se elencandos todos os ambientes. Além da Capela Sistina, escolha visitar o que mais lhe apraz, levando sempre em conta que, nosso cérebro não dá conta de absorver tudo o que grandes museus têm a oferecer.  Mas se quiser ver o máximo que puder, chegue pela manhã.

Mapas Grátis

No site dos Museus Vaticanos é possível ver o mapa dos museus e também fazer uma visita virtual a alguns ambientes. O link é: http://mv.vatican.va/2_IT/pages/MV_Visite.html

Fonte: Site dos Museus Vaticanos

 Vai visitar o Coliseu e os Museus Vaticanos/Capela Sistina?

Compre o fura-filas com a TicketBar. Venda fácil em Português.

Imagem: Museus Vaticanos


Organize agora a sua viagem

Viaje tranquilo com um Seguro para Viagens na Europa
A Itália faz parte dos países europeus que exigem um seguro para viagem com cobertura mínima de € 30.000. Contrate o seu com a Seguros Promo. Cotação gratuita com comparação de preços entre várias seguradoras.

Procurando um hotel em Roma? Reserve agora com o Booking.com
 O Booking.com é a empresa selecionada como parceira para reservas de hotéis em Roma, em qualquer outra cidade da Itália e no resto do mundo. As vantagens do Booking.com? O site está em português e você pode ver a cotação em reais. Booking.com

 Comparador para viagens de trem na Itália
 Compre suas passagens de trem sem custo adicional com a Trainline. Com a Trainline é possível comparar passagens de trem das principais companhias ferroviárias na Itália e Europa, sem acréscimo de preço.

Similar Articles

3 thoughts on “Conheça um pouco sobre a origem dos Museus Vaticanos

  1. Olá, primeiramente lhe parabenizo pelo excelente site, tudo muito bem informado, imprescindível a quem vai viajar para Roma. Gostaria somente de pedir um post sobre as atrações turísticas de roma que estão em reforma, viajo em março. Vi em alguns sites(Folha e Globo) sobre reformas na Fontana di Trevi porém a informação é de julho do ano passado.

  2. Queridos, vi no site do Vaticano que os estudantes com menos de 26 anos têm direito à meia entrada. Gostaria de saber se esse direito se aplica somente aos estudantes da União Européia… Com a carteira de estudante da minha Universidade Federal aqui no Brasil eu consigo pagar meia? Obrigada!!!

    1. Conforme informação do próprio site, me parece que o desconto é para qualquer estudante que tenha carteirinha de estudantes. Mesmo os não europeus. Um abraço 🙂

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Top